26 maio, 2010

O TEMPO

Olá!

Pode falar? Ok, amanhã eu ligo. Caracas, ninguém tem tempo. Acertou, é sobre o tempo que pretendo falar..., tá bom, esquece essa parte, vou postar um pequeno trecho de um texto poético, uma linda poesia, mas não é qualquer uma, é a poesia, e já vou dizendo que acho fantástica, portanto prepare-se, o que você vai ler é inesquecível, diferente do que anda rolando por aí. É isso que acho, mas entenda, sou suspeita pra falar porque fui cativada pela delicadeza desse poema e agora, sempre que volto à leitura, me emociono e me empolgo! É que esse autor é, digamos, ímpar, e, nesse poema ele impregnou as palavras de uma verdadeira energia vital, ele trouxe para dentro do texto a magia poética, mas com a real possibilidade de concretizar-se no aqui e agora. Nossa! Agora me superei!!!! Mas é isso mesmo que você ouviu. Ele nos apresenta o tempo numa ótica que enaltece as passagens verdadeiramente importantes da nossa vida numa simbiose com a própria linha do tempo, que, sabemos, é inexorável. Gente, chamo a atenção, isso é só uma palhinha do que esse autor escreve. Já li dois livros dele, sem respirar! Aproveitem. Com vocês, Raduan Nassar, em O TEMPO.



O     T E M P O

O tempo é o maior tesouro de que um homem pode dispor.
Embora, inconsumível, o tempo é o nosso melhor alimento.
Sem medida que eu conheça, o tempo é contudo nosso bem de maior grandeza. 
Não tem começo, não tem fim.
Rico não é o homem que coleciona e se pesa num amontoado de moedas, 
nem aquele devasso que estende as mãos e braços em terras largas.
Rico só é o homem que aprendeu piedoso e humilde a conviver com o tempo, 
aproximando-se dele com ternura. 
Não se rebelando contra o seu curso. 
Brindando antes com sabedoria para receber dele os favores e não sua ira.
O equilíbrio da vida está essencialmente neste bem supremo. 
E quem souber com acerto a quantidade de vagar com a de espera que deve pôr nas coisas, 
não corre nunca o risco de buscar por elas e defrontar-se com o que não é. 
Pois só a justa medida do tempo, dá a justa 'natureza' das coisas.

Legal, não? Se não gostou, tudo bem, aceito, mas nem me fale, você já sabe minha opinião... (rsrsrsrs)
Bem, por enquanto, era isso. Fui. Até breve.
Postar um comentário