10 setembro, 2010

BLOGAGEM COLETIVA - SENTIMENTOS - ORGULHO

Olá, turma

* O tema é orgulho.

or.gu.lho
Substantivo masculino.
1.Sentimento de dignidade pessoal; brio, altivez.
2.Amor-próprio demasiado; soberba.
3.Aquilo ou aquele(s) de que(m) se tem orgulho.
§ or.gu.lho.so (ô) adj. sm.

Depois desse help que peguei no Aurélio, ficou bem mais fácil a gente bater um papinho. Então. O orgulho é um sentimento que pode ser bom ou ruim. Depende das circunstâncias. Mas, nem vou explicar nada porque a gente sabe muito bem a distinção entre orgulho e orgulho.

Gosto demais de sentir orgulho por meus ganhos e superações em vários aspectos da vida. Sei que tenho razões de sobra para orgulhar-me. Aliás, não estou sozinha nessa parada, pois todos nós, se fizermos uma leitura de mundo, com honestidade, encontraremos vários motivos para nos orgulhar de nossa caminhada terrena. E, nesse sentido, o orgulho é um sentimento muito bem vindo. \o/

Mas por outro lado, não posso deixar à deriva a feição malvada do orgulho, aquela que cega o entendimento e conduz à arrogância. Você sabia que o primeiro pecado mencionado na Bíblia foi o orgulho? Sim, Satanás estava se achando, queria ser o tal, queria ser como Deus. E assim nasceu a primeira contenda no céu. Uma penca de anjos foi seduzida, acreditaram nas promessas do futuro senhor de tudo. E você já sabe o resultado: confusão, mágoa, brigas e divisões. (ih, esse filme tá meio passadinho, não?) Enfim, uma tristeza. O orgulho sufoca, destrói e derruba. E, nesse sentido, o orgulho é um sentimento muito mal vindo. Xô. :((

Ah, tenho uma historinha pra você. Alguém me contou há bastante tempo. Nem lembro mais as palavras certas, mas sei contar assim:


A     L A M P A R I N A

Era uma vez uma lamparina cheia de óleo que vivia se gabando de ter um brilho maior que o Sol. Mas veio uma rajada de vento e... puf! Ela apagou. Ao acendê-la novamente, alguém lhe disse baixinho: ilumina e cala-te. O brilho dos astros não conhece o eclipse. (Gente, bem que ela podia dormir sem essa né, rsrs)?

Moral da história:
Que o brilho de uma vida gloriosa não te encha de orgulho. Nada do que adquirimos nos pertence de verdade.

E, como eu estava dizendo, gosto de sentir orgulho, mas aquele orgulho bom, que dignifica, que promove a vida, que traz sustentabilidade às nossas convivências. De resto, abomino o orgulho que conduz à arrogância. Odeio. Até porque, a vida é dinâmica, nada permanece como está.

Beijos.

* Blogagem coletiva organizada pela Glorinha do Blog Café com Bolo.
Postar um comentário