27 agosto, 2010

BLOGAGEM COLETIVA - SENTIMENTOS - RAIVA / ÓDIO

Olá,

* O tema é raiva/ódio.

Que chatice esse negócio de sentir ódio e raiva, não é? Fiquei pensando, pensando, lendo... nossa, que angústia tentar compreender o incompreensível. E foi então que abri um email que me seduziu. Traz uma historinha esperta, que focaliza justamente a raiva e, de quebra, ainda tem uma oração incrível pra gente entrar nos eixos. Gostei do texto e apesar da abordagem, não me senti reduzida à insignificância por ser leiga em psicologia. É prático, bem concreto. Espero que você curta bastante.

Quando terminei a leitura, fiquei pensando se o tal conselho (caaalma, você já vai saber...) não estaria a revelar um traço de comportamento ... bom deixa pra lá, chega de conversa mole.

Em troca, eu gostaria de saber tua opinião, não saia daqui sem responder. Mas responda com sinceridade. Antes porém repita o mantra: sinceridade, sinceridade, sinceridade. Após comentar, (só depois, hein) você já poderá, se quiser, exorcisar-me da blogosfera!! Rsrs.



Estavam casados há mais de 60 anos. Tinham compartilhado tudo e conversado sobre tudo. Não havia segredos, apenas uma caixa que a mulher guardava a sete chaves. Um dia ela adoeceu e o médico a desenganou. Era hora de saber o que havia na caixa. O marido abriu e encontrou duas bonecas de crochê e um pacote de dinheiro que totalizava 95 mil dólares. Ele quis saber o significado daquilo. E ela disse: Quando casamos minha avó me disse que o segredo de um casamento feliz é nunca argumentar nem brigar por nada. E se alguma vez eu sentisse raiva de você era para ficar quieta e fazer uma boneca de crochê. Emocionado ele teve que conter as lágrimas enquanto pensava "Somente duas bonecas na caixa. Puxa vida, ela ficou com raiva de mim só duas vezes em todos esses anos." - Querida!!! - E esse dinheiro de onde veio? Ah!!! Esse é o dinheiro da venda que fiz das bonecas. Vendi-as a um dolar cada uma. Sobraram só duas.


Diante de tudo isso, resolvi fazer a seguinte oração:


Senhor, dai-me sabedoria para entender meu marido, amor para perdoá-lo e paciência para aturá-lo, porque se eu pedir força, eu bato nele até matar, pois EU NÃO SEI FAZER CROCHÊ... Amém!
E aí, curtiu? Agora é só colocar em prática aquele mantra e responder a seguinte questão: A neta acertou em seguir o conselho da avó? Porque? (Muita concentração nessa hora...rsrs)

Beijos.

* Blogagem coletiva do Blog Café com Bolo.
Postar um comentário