18 novembro, 2010

BLOGAGEM COLETIVA - MINHA IDEIA É MEU PINCEL

Olá!!
* O tema é a tela de Edgar Degas "Blue Dancers (Les Danseuses Bleues)"


Bailarinas me fazem voar. Elas me emocionam e me inspiram. São como estrelas das quais meus olhos não podem fugir. Tenho por elas um respeito muito profundo, indizível. Suas histórias de vida sempre incluem sacrifícios, perseverança e superações. Não que a nossa vidinha comum, essa que vivemos aqui, nos isente de sacrifícios. Não é disso que estou falando. Falo de outra coisa, sobretudo do querer ser, do objetivo, da luta, da insistência, da responsabilidade, da firmeza, da disciplina. E para mim, as bailarinas são exemplos vivos, definitivos desse tipo de querer. Claro que há outros exemplos. Mas é no balé que a busca pela perfeição gestual encontra seu expoente máximo. E é na persistência que se consolida essa perfeição, que tanto me emociona quando as vejo dançar. Talvez por isso, o balé também tenha sido um assunto recorrente na carreira de Edgar Degas que, segundo li, também era muito persistente. Ele, quase cego, procurava, assim mesmo, representar as bailarinas, em cada gesto, cada detalhe, do melhor jeito que podia. Muitas vezes me perguntei porque suas bailarinas me tocavam tanto.

No meu sentir, o balé, por analogia, representa a própria dança da vida. Quem de nós consegue alguma coisa sem algum tipo de sacrifício? Sem antes querer e perseverar? Para mim, a perseverança tem um raro poder: ela nos dignifica, nos remete a outros horizontes, outros prazeres: únicos, individuais, muito self. E, porque não dizer... transcendentais? Ok, vou dar um tempo, hoje paro por aqui. Mas não sem antes saudar o balé da vida. Esse grande espetáculo onde os protagonistas somos nós. É um balé visceral e, por vezes, bem complicado... Mas, não é que aprendemos os passos com perfeição? Dançamos tanto, mas tanto mesmo, que precisamos tomar cuidado pra não entrarmos na fluidez total e acabarmos ficando etéreos antes do combinado!! Ops, olha só o que me veio na cabeça agora: Sou bailarina, danço o balé da vida. Nasci bailarina! (Demi-plié, demi-plié, demi-plié...) Legal não? Então, sou igualzinha a essas daí do quadro! Ih, ih, agora sim, voei bem alto! Atenção tripulação, aterrissagem autorizada!

Eu não falei? Bailarinas me fazem voar!

Beijos.

* Blogagem coletiva proposta pela Glorinha do Blog Café com Bolo.
Postar um comentário