03 março, 2016

O DIABO QUE SE DANE




Que mania irritante as pessoas pegaram de achar que a gente tem sempre que andar de cara alegre; que tem de mandar às favas o sofrimento, expulsar, se livrar logo da tristeza e da raiva, que são sentimentos errados. Se você está triste, ops, algo está errado com você, procure ajuda profissional. Ora, acho isso uma piada. Acontece uma desgraça e tenho que estar sorrindo? Pois sim! -- A propósito, entre ser otimista e viver sempre alegre há uma diferença abissal e eu não estou mais aguentando essa turma da alegria eterna. Ou seria da fuga eterna? Sei lá -- Imagine só, alguém me faz uma sacanagem e não posso sentir raiva? Ora bolas, me deixe em paz, estou triste, estou com raiva e daí? Daí que assino embaixo com você. O lance é mesmo amargar a tristeza, fazer o luto. Não tem saída. Na sequência, a gente vai, dentro do possível, tentando melhorar o astral. E nem pense em fugir pois quanto maior o medo de sofrer, maior é o sofrimento. Caiu no inferno, abrace o diabo. Mas, alto lá, não o alimente. Pegue carona na Consciência e dê o fora. Encare logo o problema, sacou? É simples. Tá bom, retiro o simples, mas então tome nota: no momento crucial, quando os sentimentos de tristeza e raiva aflorarem, procure recuperar a consciência rapidamente. Busque o fortalecimento que só a consciência é capaz de dar e, -- acredite --, você já encontrou forças para ir abrindo os caminhos da alegria. Não se trata de "expulsar" a raiva ou a tristeza, mas de se conscientizar, de saber e aceitar, que esses sentimentos são ruins apenas porque nos incomodam, mas não são errados, eles atuam porque são parte da nossa condição humana e componentes do nosso crescimento espiritual. Não quero dizer com isso que você deva permitir que se expandam e se instalem em tempo integral no seu coração. Negativo. Nada de alimentar o diabo, ele que se dane.

É impressionante o poder que emana da consciência. É um poder capaz de neutralizar os sentimentos indesejáveis e de os consumir sem deixar vestígios. E de quebra, dá uma repaginada no astral da gente. Ao menos comigo é assim.

Marli Soares Borges © 2013
Postar um comentário