09 março, 2016

NOVELA DA VIDA





De fato, se formos os idiotas que Macbeth falou, a vida não vai significar muita coisa e nem valerá a pena ser contada. Mas há que se ter inspiração para escrever a novela da vida, a cada dia que amanhece. E às vezes, temos que literalmente garimpar a inspiração. O bom disso tudo é que o significado que damos à vida só depende de nós. 
-------------------------

Macbeth baixou por aqui, rsrsrsrs! (Acho que foi a chuva e o dia cinza...)


"Tomorrow and tomorrow and tomorrow,
Creeps in this petty pace from day to day
To the last syllable of recorded time,
And all our yesterdays have lighted fools
The way to dusty death. Out, out, brief candle!
Life's but a walking shadow, a poor player
That struts and frets his hour upon the stage
And then is heard no more: it is a tale
Told by an idiot, full of sound and fury,
Signifying nothing."

----------------------------
Tradução:

“Amanhã, e amanhã, e ainda outro amanhã
Arrastam-se nessa passada trivial do dia para a noite, da noite para o dia,
Até a última sílaba do registro dos tempos.
E todos os nossos ontens não fizeram mais que iluminar para os tolos
o caminho que leva ao pó da morte. Apaga-te, apaga-te, chama breve!
A vida não passa de uma sombra que caminha, um pobre ator
Que se pavoneia e se aflige sobre o palco –
Faz isso por uma hora e, depois, não se escuta mais sua voz.
É uma história contada por um idiota, cheia de som e fúria
E vazia de significado”.
Postar um comentário