16 maio, 2014

ANTES QUE SEJA TARDE


antes que seja tarde
Não perca sua capacidade de admirar as belezas do mundo.
O ipê florido à beira da estrada é quase um imperativo bíblico a nos dizer: pare e admire!


Andamos todos meio down com a barbárie que grassa por aí. Será mesmo que isso nunca vai ter fim? E a gente combate do jeito que pode, com as armas que temos. Vamos xingando, falando e mostrando na internet as imagens grotescas dos crimes. E juntamos a descrição detalhada dos requintes de crueldade cometidos contra as vítimas. Pensamos que assim será mais fácil dar um basta nessas desgraças. Mas, não! Em vez de atenuar, estamos exacerbando os ânimos.

Passado o impacto inicial, - que a grande mídia já trouxe à tona -, começa o efeito contrário e indesejável: de tanto ver esse tipo de coisa, nosso coração vai endurecendo e ... acostumamos. E todas essas atrocidades que hoje abalam nossas estruturas, amanhã não passarão de banalidades incluídas no rol das leis naturais da vida. Bom seria se conseguíssemos equilibrar as coisas e evitar a banalização da barbárie. Que tal direcionar nossas energias para mostrar o bem, as atitudes nobres das pessoas? para as belezas do mundo? para tantos aspectos que fazem a vida valer a pena?

Acredito que, ao lado da indignação, é possível também (re)lembrar nossos motivos de viver. Sinto que precisamos dessa luz para enxergar as belezas do mundo e fortalecer nosso espírito. E, nesse quesito, a beleza é sempre a essência da qual não podemos prescindir. Vamos enfeitar nossos corações e promover a vida, antes que seja tarde. Vamos prestar atenção e espalhar coisas boas e bonitas. Quem sabe assim a gente estimula uma nova percepção de mundo e obtém melhoria nas condutas? É pagar para ver. Só sei que não suporto mais esse miasma escurecendo o mundo. Quero luz! Vou atrás de alguém - brilhante - que ampare minhas ideias e faça um upgrade nesse meu texto, e me ajude a clarear a vereda. E fui. Adivinha quem encontrei? Um grande amigo, filósofo, reconhecidamente sábio. Seu nome? Confúncio. Perguntei-lhe porque, ao comprar arroz, ele comprava flores também? e ele me respondeu calmamente: compro arroz para viver e flores para ter motivos para viver. Você viu a luz da sabedoria brilhar? a concretude do exemplo que ele nos deu? Aí está: a beleza fortalecendo o espírito. E o espírito fortalecido, fazendo a vida desabrochar!


Beijos e bom início de semana!
Marli

Em tempo: 
Veja que maravilha nosso Rubinho, o Alves, [ele diz cada coisa linda, adorooo] e aqui ele se superou, rsrs "Nós não vemos o que vemos, nós vemos o que somos. Só veem as belezas do mundo, aqueles que têm belezas dentro de si."

. Quer conhecer Confúncio, clique aqui
. Rubem Alves, aqui
. Imagem da internet, se alguém tiver direitos sobre ela, me avise.
Postar um comentário