28 janeiro, 2011

ASSISTE RAZÃO À RAZÃO?

Olá todo mundo.

Estou postando hoje um trechinho de um texto intitulado "Deus e o Estado" de Mikhail Bakunin, (séc XIX). Como eu sei que, principalmente por ser grande no intelecto, ele teve inimigos declarados, achei que seria uma boa ideia reproduzir aqui pra você ler, algumas coisas que ele andou escrevendo e que causaram polêmica. Mikhail escreveu inúmeras frases fortes. Veja só essa: “... é no interesse da saúde de nosso próprio espírito que devemos nos esforçar para compreender a gênese histórica, a sucessão das causas que desenvolveram e produziram a idéia de Deus na consciência dos homens. De nada adianta nos dizermos e nos considerarmos ateus; enquanto não tivermos compreendido essas causas,..."

Para acessar o original (traduzido, é claro) direto da fonte, clique aqui. Você vai ver, o texto é bem longo, mas não é difícil de ler, nem é chato não. Ao contrário, é instigante, sagaz e reflexivo.

Bom, chega de conversa mole, com você, Mikhail Bakunin.

" É próprio do privilégio e de toda posição privilegiada matar o espírito e o coração dos homens. O homem privilegiado, seja política, seja economicamente, é um homem depravado de espírito e de coração. Eis uma lei social que não admite nenhuma exceção e que se aplica tanto a nações inteiras quanto às classes, companhias e indivíduos.

(...)

Decorre daí que rejeito toda autoridade? Longe de mim este pensamento. Quando se trata de botas, apelo para a autoridade dos sapateiros; se se trata de uma casa, de um canal ou de uma ferrovia, consulto a do arquiteto ou a do engenheiro. Por tal ciência especial, dirijo-me a este ou àquele cientista. Mas não deixo que me imponham nem o sapateiro, nem o arquiteto, nem o cientista. Eu os aceito livremente e com todo o respeito que me merecem sua inteligência, seu caráter, seu saber, reservando todavia meu direito incontestável de crítica e de controle. Não me contento em consultar uma única autoridade especialista, consulto várias; comparo suas opiniões, e escolho aquela que me parece a mais justa.

(...)

Se me inclino diante da autoridade dos especialistas, e se me declaro pronto a segui-la, numa certa medida e durante todo o tempo que isso me pareça necessário, suas indicações e mesmo sua direção, é porque esta autoridade não me é imposta por ninguém, nem pelos homens, nem por Deus. De outra forma as rejeitaria com horror, e mandaria ao diabo seus conselhos, sua direção e seus serviços, certo de que eles me fariam pagar, pela perda de minha liberdade e de minha dignidade, as migalhas de verdade, envoltas em muitas mentiras que poderiam me dar. Inclino-me diante da autoridade dos homens especiais porque ela me é imposta por minha própria razão."

Beijos a todos.
Postar um comentário