17 janeiro, 2011

QUANDO AS CÂMERAS ESTÃO FILMANDO

Olá todo mundo!


Que tristeza, que raiva! Vi na TV os notáveis políticos sobrevoando as regiões afetadas pelas chuvas! É bem assim que eles se comportam quando acontecem tragédias dessa natureza. Sobrevoam. Como os urubus. É impressionante a cara de tristeza e surpresa que eles fazem diante dos repórteres quando as câmeras estão filmando. Será, meu Deus que somos todos uns retardados? Pra quê esse fingimento todo? Quem não vê o descaso das autoridades? Pra quê gastar dinheiro com vôos de helicóptero, totalmente desnecessários, que não ajudam em nada? A propósito, você sabia que os helicópteros pra ajudar aquela pobre gente desesperada demoraram 5 dias pra serem liberados? Isso mesmo. E os nobres políticos tiveram o desplante de colocar a culpa na burocracia. Engraçado, mas pra aumentarem seus próprios salários, os deputados federais levaram apenas 20 segundos! Sim você ouviu bem, vinte segundinhos, sem nada de burocracia! E agora eles ganham a bagatela de 26 mil reais por mês!! Caracas. Também pudera, suportamos a maior carga tributária do mundo: 60 tipos de impostos. Uma ganância fiscal sem medidas e sem registro na história. Pois é. E o salário mínimo, 545 reais. Você consegue entender? Misericórdia.

Nossa me empolguei, fugi do assunto, deixa pra lá.

Mas, pegando novamente o fio da meada, ainda bem que o povo brasileiro é solidário e generoso. Mesmo os mais pobres ajudam. Voluntariamente. Importam-se com os seus semelhantes. Fazem o que podem, fazem o que os governantes não fazem. Pobre povo brasileiro, governado por gente tão insensível. Rezo para que Deus conforte aqueles pobres flagelados e dê forças aos que estão lá no front tentando amenizar o sofrimento dos que precisam.

Não sei, mas acho que está na hora de acordar os jovens pra essa realidade, trazê-los de volta ao planeta Brasil. Quem sabe eles fazem o que nossa geração não fez: expulsem esses ilustres parasitas e instaurem uma nova ordem!

Esperança... por favor, não me abandone.

Beijos a todos.
Postar um comentário