07 fevereiro, 2010

LONG PENCIL

Olá!
Novidades para vocês
.













Ontem entrei no google para pesquisar uma coisa e acabei dando de cara com outra que, num piscar de olhos me fez voltar no tempo, muito tempo atrás..., e tenho certeza que se você tem mais de quarenta, certamente acontecerá o mesmo. Repare bem nas imagens
.
Quem de nós não usou? Era uma coisa tão corriqueira na nossa vida escolar, mas tão econômica e tão boa. Naquele tempo a gente usava porque nos educavam assim, a gente aprendia a cuidar das nossas coisas e a economizar tudo, inclusive os lápis. Os bens duráveis eram feitos para durar e os bens não-duráveis a gente aprendia a cuidar para durar um cadinho mais. E ninguém morreu nem ficou retardado ou frustrado com essas práticas. (Não, não é nostalgia não. O progresso foi muito bom, aliás está sendo. Trata-se de discernimento, um valor que, por conveniência de alguns, foi diluído no tempo). Enfim, o tempo passou e o consumo chegou. Consumir, consumir, consumir. Essa foi a palavra de ordem dos tempos que vieram. O lápis gastou?, ora a gente compra outro! E assim foi..., e deu no que deu. Lixo e poluição a mil.

















Pois bem, aí está, num site americano, com todas as pompas, uma "criação" superecológica e supermoderna! Claro, a idéia é a mesma, mas agora numa versão repaginada, outra proposta, outra visão, de indiscutível compatibilidade com as necessidades ecológicas atuais. É bem como se ouve a voz corrente, "nesse mundo nada se cria, tudo se copia", ainda bem, pois as boas idéias não podem morrer simplesmente. O que é bom, deve permanecer, nada de reinventar a roda! rsrsrsrs. Vi aqui

Até breve. Fui.
Postar um comentário