14 abril, 2014

DE PROBLEMAS E DE VÍCIOS


Li não sei onde que contar problemas é o nosso maior vício. Taí uma coisa que concordo demais.

pássaros, pintura

É vício sim, e cheguei à conclusão que não suporto gente viciada em contar problemas. Faz um tempão que venho dizendo que nossos problemas são iguais a bola de neve. Você já viu uma bola de neve rolar do alto da montanha? Ela sai de lá minúscula e chega ao solo imensa. Tal como os nossos problemas. Quanto mais a gente fala, mais eles se expandem e mais fragilizada a gente fica, nossa voz é muito poderosa. Sei não, mas o ideal seria a gente dividir o problema com alguém, falar, desabafar, equacionar e partir para a solução. E tratar de entender que existem coisas que simplesmente não têm solução, temos que conviver com elas e ponto, "o que não tem remédio, remediado está". Sabedoria antiga e muito verdadeira. Então, para que sofrer sem necessidade? Chega de bater na mesma tecla, falando, relembrando, revivendo, chorando tudo de novo. Se é para reviver alguma coisa, então vamos falar das alegrias, reviver as alegrias, e sorrir tudo outra vez. Assim, quando a bola chegar ao solo estaremos inundados de bons sentimentos e com as forças redobradas. Em resumo, tem duas drogas na vida que nos fazem 'viajar': uma nos joga no inferno e a outra nos tira do chão e faz voar. Se é para ter um vício, escolha uma droga que valha a pena.

"Não é só anestesia que espanta a dor. Rir também".
Boa tarde.
Marli


Aceita um café?

Postar um comentário