10 fevereiro, 2014

UM SONO QUE NÃO É SONO


Millôr disse que estamos condenados à esperança. Concordo. Uma das mais assustadoras sentenças condenatórias que poderíamos receber no processo da vida, é a esperança. Do verbo esperar, bem entendido. Os que recebem tal sentença, a menos que apelem para a Luz, restarão invariavelmente aprisionados na estagnação pessoal e social. Eles simplesmente desistirão da viagem, "na véspera de não partir nunca, ao menos não há que arrumar malas", ah, meu amigo Pessoa, você foi direto na jugular! Tenho medo dessa esperança "pirata", essa bruxa perversa que sufoca e aprisiona as pessoas numa prisão insalubre. Deixa você fora do ar, dormindo... eternamente. Inerte como naquele filme, onde o gigante deitado em berço esplêndido, espera não sei o quê. Dorme um sono pegajoso, que não é sono, é uma absurda inação. (Esse filme costuma passar muito por aqui). Mas, fora da prisão, a vida segue outro rumo. Na liberdade as pessoas enxergam a Luz! Livres da esperança "pirata" todos têm plena capacidade de agir e fazer acontecer! Animam-se a lutar, a viver e a buscar. Porque sabem que, longe da inércia, há possibilidade concreta de conquistarem os sonhos possíveis. Isso é o que eu chamo, gozar os efeitos da verdadeira Esperança, aquela do verbo esperançar. Um santo remédio, como diria minha esperta avó.
- Marli Soares Borges -

20 comentários:

Heloisa disse...

Marli,
Eu estava lendo, e pensando.
No final, seu texto bateu com meu pensamento. Não se pode confundir a esperança/inércia com a esperança/conquista.
Esperar não pode se confundir com acomodação.
Bj.

✿ chica disse...

Que tenhamos sempre presente a esperança que impulsiona, não a que fica acomodada esperando apenas! beijos,chica

Calu B. disse...

Marli querida,
como como uma sílaba muda todo um panorama, aquele que descortina daquele que desperta,diferenças cruciais que carimbam os destinos.
Xô letargia, dos piratas só quero o rum,( em coquetel)rssrsrs...
Vc tem o dom da interlocução,caríssima.
Bjos,
Calu

Daniel Costa disse...

Marli, no fundo a esperança será sempre precisa. Quando falamos e esperança, não é na esperança inerte que só pode só pode dar desesperança.
Vale uma pequena historieta: em determinada época certo frustado apenas pedia a Santo António um milagre que o fizesse abastado: um dia o Santo apareceu-lhe e disse: ao menos faz alguma, por exemplo joga na lotaria. Ele assim fez, entre os amigos arranjou o dinheiro. Não mais viu o Santo mas acertou.
Beijos

Silvana Haddad disse...

Marli:
Esperar não faz parte do meu repertório, rsrsrsr.
Curto mesmo, é arregaçar as mangas, vestir a camisa e fazer acontecer.
Bjs.:
Sil

Toninho disse...

Quem espera sempre alcança,três vezes salve a esperança.
Pois somos frutos de um esperar e criamos para esperar.Mas gosto de esperançar e que esta não nos abandone Marli.
Meu terno abraço de paz e luz.

pensandoemfamilia disse...

Muito boa esta diferença na palavra esperança.
Já diz a música "Vem, vamos embora, que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer", bjs

Lidia Ferreira disse...

Eu concordo com amiga Chica !
Que tenhamos sempre presente a esperança que impulsiona, não a que fica acomodada esperando apenas!

Camille disse...

Tem toda razão Marli, somos a i-nação verde e amarela.Roxa de vergonha. Bjos e bom findi.
Cam

Ivana Lucena disse...

É mesmo Marli! Sabe o que eu acho? Que Esperança é aquele "empurrãozinho" que a gente dá para a coisa pegar de vez. rsrsrs bjs, querida.

Paulo Francisco disse...

Acomodar-se não é ter esperança. A esperança te faz acreditar e viver.
Muito bom essa sua crônica.
Um beijo grande.

Mulher na Polícia disse...

Esperança "pirata"...

Hummm...

Essa expressão vale muita reflexão.

: )

Prazer em conhecê-la.

Nita Oliveira disse...

Fiquei fã. Vou seguir.
Boa semana.
Beijo.
Nita

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Marli
Viver sem esperança é o mesmo que vegetar...
Bjm fraterno

Jeanne Geyer disse...

talvez não tenha nenhuma das duas esperanças, confio na minha luta e nas pequenas vitórias diárias. bjs

Silvana Haddad disse...

Olá Marli:
Tô de volta, rsrsrsr.
Mas hoje é pra te convidar a ler o post que publiquei e que serve de alerta pra blogueiros desavisados:
http://meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/2014/02/proverbio-chines-alerta.html
Bjs.:
Sil

Michelle Siqueira disse...

Um povo sem instrução, sem conhecimento, sem perspicácia, não se dá ao luxo de ter esperança. Tem mesmo é fé. Há quem chame de outro nome, mas penso que quanto maior a elaboração terminológica, mais se afasta de uma relação de sentido coerente com aquilo que se chama povo.

Abraço,

Michelle

Luma Rosa disse...

Oi, Marli!
Ainda não havia pensado na esperança como um sentimento de inércia e sim pelo lado positivo de acreditar que alguma coisa que não tem mais solução, um milagre acontecesse. Algo como, depois de todas as tentativas possíveis de realização, a não conquista, ainda valeria a última cartada: Não vamos perder a esperança!
Esperar que assuntos práticos do dia a dia por si se resolvam é mesmo achar que a esperança é "alguém" que trabalha por nós.
Esperança por si só não se sustenta e de alguma forma ou de outra, até pensar na esperança é uma "não inércia" - vale o dito "A esperança é que nos move".
Beijus,

Tatiana disse...

Marli querida...lembra de mim??? Nossa como foi bom ler o teu texto depois de alguma ausência por essa blogosfera, que maravilha de post!!Tava com saudades!!
Pois e...essa tal palavra maravilhosa pode ser tao destrutiva para certas pessoas, eu mesma conheço varias infelizmente!
Bjks!

Tatiana disse...

Quanto ao teu comentário la no blogue você tem toda a razão, Marli, a experiencia nos ensina e a maturidade nos deixa mais sábios.
Bjks