07 junho, 2016

EU ABALEI O MUNDO




Faço parte de uma geração que durante muitos anos questionou os silenciamentos que permeavam as nossas vidas em quase todos os espaços sociais. Hoje em dia presencio, com tristeza, muitos colegas do passado utilizando-se da mesma prática escusa que tanto lutamos para banir. 

Incomoda-me esse papo esclerosado de que precisamos nos desconstruir para nos transformar. Que bobice isso. Incomoda-me essa necessidade mórbida de pedir perdão aos oprimidos e licença aos especialistas para emitir uma opinião sobre determinado assunto. Pedir permissão à esquerdalha, para emitir uma opinião sobre seus líderes intocáveis e símbolos vazios? Comigo não. 

(Estou tocando nesse assunto, porque, a propósito da morte de Muhammad Ali, acabei lembrando da célebre frase dita por ele: "engulam as vossas palavras. Eu abalei o mundo. Eu sou o maior. Eu sou o rei do mundo. (Ele teve coragem de abrir a boca. Ele disse o que achou que deveria dizer. E o momento era efervescente de conflitos.)

Marli Soares Borges
Postar um comentário