quinta-feira, setembro 09, 2021

OLHOS DE PRIMEIRA VEZ



Olhos de primeira vez


Adoro a emoção que vem quando mudo meu centro de interesse e transito em outros universos. Revivo, quero fazer isso e aquilo, quero mais e mais, quero mexer com a vida, mexer a panela dos doces e lambuzar meu coração. 

Jogo a velhice pro ar, paro imediatamente de bater os pinos e a criança que habita em mim se move de um lado para outro com olhos de primeira vez. 

Muitas vezes me parece que esse sentimento é imaturo, que eu deveria manter um padrão de interesse por mais tempo, um padrão compatível com minha maturidade, sou setentona, tão madura... mas na verdade, eu sigo querendo o que sempre quis: que os encantamentos continuem comigo, tomando conta da minha cabeça, dos meus sentidos, de todo o meu ser! Quero aguçar meus sentidos, afinar minhas percepções e ampliar minha leitura de mundo. 

Essa dinâmica me move e fascina. 

No passado eu nutria uma certa inveja dos pintores e fotógrafos, porque me parecia que o trabalho deles era puro encantamento, na medida em que nada se repetia, pois o cenário sempre se renovava, amparado na incidência da luz que modifica e confere lindos estilos aos ambientes. 

Mas eu estava errada, comprovei mais tarde. 

O encantamento não tem nada a ver com a superfície, ele é uma mágica interior que pode acontecer milhões de vezes na vida de cada um de nós. Para mim, vive acontecendo, estou sempre transitando em universos diferenciados. Acontece assim: ontem eu estava encantada em fazer uma coisa; fiz, fiz, fiz e... hoje não quero mais! quero aprender outra, dar novo rumo ao que venho fazendo com meu tempo. E me encanto com outra coisa e assim por diante. Confinada dentro de casa, não tenho tantas novidades, mas não me importo que meus universos sejam cíclicos. Meu espírito vibra pois está movido pelo interesse verdadeiro. E esse impulso interior coloca meus sentidos afinados com a energia vital e aciona em mim o processo criativo. 

Ainda bem. 

Não fossem esses encantamentos
não sei o que seria de mim
confinada e furibunda
nessa pandemia sem fim


 -Marli Soares Borges-



20 comentários:

  1. Bom dia de serenidade, querida amiga Marli!
    O olhar inaugural nos faz termos olhos e coração de menina, não importando a idade.
    Quero ser setentona um dia, pois assim terei superado muita coisa já.
    Sabe, gosto muito de ser desobediente à idade, sobretudo no que se refere a não acreditar nos "adultos" que não creem mais em fantasias e, por isso, vivem amargos perambulando por aí e presos aos ultrapassados negrumes da alma.
    Sejamos crianças desobedientes cada vez que nos tentarem impedir de sonharmos os sonhos mais lindos.
    Tenha dias abençoados!
    Beijinhos com carinho de gratidão

    ResponderExcluir
  2. Logo logo tudo voltará ao normal. Tenhamos fé e confiança.
    Cumprimentos poéticos

    ResponderExcluir
  3. A Pandemia veio condicionar-nos em muitas coisas. Mas, veio dar outras coisas que desconhecíamos ser capazes. Adorei a publicação!
    .
    Escrever, é falar em silêncio
    .
    Beijos. Votos de um bom dia!

    ResponderExcluir
  4. Tão bem escrito sempre ,Marli! Parece que estamos ao teu lado conversando....
    E como é bom descobrir novos gostos, aptidões.
    Isso nos faz sentir bem e sair do marasmo do confinamento de tanto tempo...
    Segue assim, sempre aparece algo que tua criança interior há de te fazer ver. beijos, lindo fds! chica

    ResponderExcluir
  5. Encantamento e dinamismo aumentam a esperança de vida...
    Continue assim que terá cada vez menos idade (pelo menos mental).
    Gostei muito do seu texto, é uma lição de vida para a faixa etária a que pertence.
    Continuação de boa semana, querida amiga Marli.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Adorei teu texto, Marli, esse mexe-mexe é que mantém em nós a juventude, do espírito, as brincadeiras, as coisas que pensam que não fazemos e aprontamos, e muito melhor do que no tempo de criança, agora temos um enorme Know-how!! rsss
    Segue em frente!
    Felizes dias pela frente!!
    beijo

    ResponderExcluir
  7. Lindo, seu texto e que esse encantamento sempre esteja brotando dentro de ti... isso é o que move a vida!!!
    Podemos livremente voar sobre cada interesse e depois mudar e mudar e ... isso é libertador, areja a vida, a alma, traz alegria do criar! E criar é viver!!!
    Beijinhos, Marli, siga assim, amiga!!!
    Valéria

    ResponderExcluir

  8. Esforço-me para nunca deixar morrer este encantamento, Marli.
    Seu texto está excelente e adorei ler.
    Grata por aderir à brincadeira lá no blog.
    Tenha um dia abençoado.
    Beijinhos
    Verena.

    ResponderExcluir
  9. Que delícia de texto, Marli, que esse sentimento continue trazendo sempre um bom aproveitamento da novidades! A vida é muito curta para ficarmos repetindo sempre a mesma "melodia", por mais linda que seja.
    Aplausos, abraço e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  10. Marli acabei de escrever um poeminha que de certa forma coaduba com o que escreveu aqui. Perfeito "o encantamento não tem nada a ver com a superfície, ele é uma mágica interior." Eu sigo assim... apaixono-me e vou até onde há o esgotamento e já me vejo em outra, dei ao nome disto de chamados que a vida me faz, rs,rs, Amei bjsss

    ResponderExcluir
  11. Que bom Marli, uma setentona com alma de criança.
    Vejo no seu perfil, um sorriso rasgado, numa cara bonita.
    Os olhos são o espelho da alma, e os seus confirmam tudo o que aqui escreveu, parabéns!
    Adorei, e quando eu crescer, quero ser assim !

    Grande beijinho.

    ResponderExcluir
  12. Olá, Marli!
    Muito interessante o seu texto.
    Independentemente da idade que tenhamos, existe sempre uma criança dentro de nós, que nos dá brilho e cor.

    Muito Obrigado, pela visita e gentil comentário no meu blog.

    Votos de um excelente fim de semana!
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Arte é manter viva esta criança irrequieta dentro de nós.
    Por ela transitamos pelo inimaginável e somos felizes. Poder mudar é sempre salutar, fazer o cérebro mudar de caminho.
    Sabedoria e conhecimento que faz grande cada um.
    Belo texto amiga.
    Um bom sábado com muita paz e alegria no coração.

    ResponderExcluir
  14. Que maravilha de texto!!!
    O dinamismo da vida impulsiona quem já traz essa energia na alma potenciando uma grande alegria . E transformada em palavras. Belas palavras.
    Gostei de vir aqui.

    Abraços

    ResponderExcluir
  15. Bom dia, caríssima Marli.

    Eu sempre falei que a nossa vida é composta de pedacinhos de milagres. Hoje principalmente!

    Continue perseverando com os seus escritos maravilhosos, os quais muito nos ensina, querida.

    Um abraço de fé e um feliz final de semana.

    ResponderExcluir

  16. Oi Marli,
    A gente envelhece e tem que aguentar as dores. Tomo remédios caríssimos para não sentir dor. Se eu tiver que viver mais 4 anos viverei apenas três. Não tenho medo da morte, espero que seja serena.kkk
    Adorei sua postagem
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  17. Ahhh Marli,

    Como você se expressa com tanta clareza em seus textos. Compreendo bem esse seu sentimento. É bastante familiar para mim.

    Quando nos damos a oportunidade de parar e prestar atenção no que nos encanta, no que nos desperta o interesse, parece que a vida ganha uma nova cor, um brilho diferente.

    Somos movidos pro desejos. O que pode ser desejável aqui neste momento, logo ali na frente já foi satisfeito e aí partimos para outra.

    Tudo é cíclico e esse desejo desejo pode retornar renovado para ser novamente satisfeito.

    Essa é a graça da vida!

    Gosto muito de te ler! É como se estivesse conversando com uma amiga querida.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  18. Marli, cheguei aqui e quero ler tudo, tão bom te conhecer um pouquinho!
    Continue sendo como és, amei ler!
    Mais abraços...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ivone. que bom ver você por aqui.
      Apareça sempre.

      Excluir
  19. Marli, sou um pouco assim também, me empolgo com algo, absorvo até a última gota e logo já quero outra. E assim vai, inquieta aqui e ali, fuçando e descobrindo, seguindo e deixando de seguir. Delícia!
    Beijo!

    ResponderExcluir

BOM VER VOCÊ POR AQUI!
Procurarei responder a todos e retribuir as visitas com a maior brevidade possível. Abraços. Marli