sexta-feira, novembro 12, 2021

O PASSEIO DAS PALAVRAS



Depois do revival elas voltaram com renovada paixão pela vida.
O passeio das Palavras


- Marli Soares Borges


Simplesmente sumiram. E eu aqui sem saber o que fazer, o cursor piscando solitário na telinha. Foi então que ouvi as risadas e da janela pude observar. Lá estavam elas, esfuziantes. Tomei o maior susto. Meu primeiro impulso foi trazê-las de volta imediatamente, a qualquer preço, agarrá-las pelo pescoço, óbvio que estavam se achando. 

Ingratas! me abandonarem assim, sem mais nem menos, sem um aviso sequer, vou esganá-las, uma a uma! Fiquei indignada, mas fazer o quê, elas já estavam indo. Simplesmente fiquei na janela olhando e admirando - sim, admirando, acredita?! - aquele grito de liberdade... sou dessas, de princípios, rsrsss. Por certo querem divertir-se, namorar o mundo, abraçar a vida, pensei. Tudo bem, mas, e agora, (surtei) se elas não voltarem, o que vai ser de mim? silente pelo resto da vida? será que elas foram embora mesmo? não, não pode ser. 

Olha, se alguma vez aconteceu isso com você, não precisa nem ler esse texto. Nenhum relato conseguirá ser absolutamente fiel ao que se passou comigo naquele dia em que as Palavras foram passear. 

Fiquei perplexa. Lembro que minha cabeça entrou em parafuso, parecia que ia explodir, dava mil voltas. Os pensamentos zuniam, que mancada a minha: que fiz eu com as Palavras, minhas amigas de tantos anos? eu as monopolizei como se fossem minha propriedade, não lhes dei descanso, só trabalho. Gastei suas energias, não as deixava respirar. E elas ali, pacientes, heroicas, expressando meus pensamentos e suportando minhas loucuras. Tanto malabarismo que o cansaço bateu. Por Deus, palavra também é gente, palavra também cansa. Como não percebi isso? Mil vezes idiota, é isso que sou.  

Passei o dia inteirinho na janela, de olho na rua e, nada! Às vezes eu me aproximava do teclado e as letrinhas torciam o nariz para mim. Que agonia! Lá pelas tantas, no meio da noite, a chave girou e a porta abriu-se. Hosana nas alturas, chegaram as Palavras! e chegaram alegres e espontâneas, como se nada tivesse acontecido. Depois do revival elas voltaram fluentes, com renovada paixão pela vida.

Abracei-as com amizade, como grandes amigas que somos e ofertei-lhes meu melhor astral. Não reclamei e não fiz cara feia; pelo contrário, engoli a indignação e entendi o recado. São fortes os laços que nos unem.


* * * * * * * * * *

60 comentários:

  1. Por vezes perante determinados fatos, ficamos sem palavras. Elas parecem sumir. Mas voltam... e por vezes voltam altivas e altamente frontais, mesmo que, se apresentem sussurrantes. Outras vezes, como lhe aconteceu a si, voltam simplesmente... porque voltam
    .
    Cordiais saudações.
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderExcluir
  2. Olá Marli!
    Que texto interessante! Você brincou com as palavras! Palavra também é gente... acho que sim, pois dizem que elas têm energia e poder.
    Quantas vezes as palavras também me abandonam e ficam só os pensamentos a atormentarem-me!
    Mas elas voltam sempre, às vezes é melhor que dêem uma volta, para regressarem mais amenas e mais doces!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabes, Micaela, acho que é a gente que vai cansando e acaba cansando as palavras, também, rsrssss.
      Obrigada por comentar.
      Bjs

      Excluir
  3. Uau!!! Que aula, doutora...
    Adorei a narrativa, o jeito
    que você fala. Beijos e beijos,
    muitos.
    Ah, estou te seguindo, hein!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Silvio!
      Você é muito generoso. Que bom que você gostou do meu texto, mesmo sem palavras, rs.
      Obrigada pelo comentário.
      bjs

      Excluir
  4. Que coisa,Marli! Tua capacidade de nos encnatar com as palavras é tão grande que nem conseguimos crer que elas tenham te dixado,rs...ADOREI! Lindo demais! beijos, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, chica, você sempre me pondo pra cima. Obrigada, querida.
      Obrigada pelo comentário.
      Bjs

      Excluir
  5. Um texto maravilhoso e instigante! :))
    -
    Silêncio tão denso...
    -
    Beijo, e um excelente fim de semana.

    ResponderExcluir
  6. E elas voltaram com força total, Marli.
    Letrinhas se uniram e formaram magnífico texto.
    Amei!
    Tenha um excelente fim de semana.
    Um beijinho carinhoso
    Verena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Verena, ainda bem que voltaram, eu sem palavras não sou ninguém. Que bom que você gostou do texto.
      Obrigada por comentar.
      Bjs

      Excluir
  7. Olá Marli!
    Crónica interessante. Onde a partir de um acaso, surgiu um excelente texto!

    Parabéns, pela inspiração!

    Votos de um excelente fim de semana!
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Mario!
      A gente tenta, não é?
      Obrigada pelo comentário.
      Bjs

      Excluir
  8. Boa noite, Marli!

    Que bem você escreve e com tanta imaginação!
    As palavras sempre voltam e nós ficamos bem felizes. Linda história.

    Beijos e bom final de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo elogio, Céu. Vindo de você, com seu talento ímpar, é um elogio e tanto.
      Volte mais vezes.
      Bjs

      Excluir
  9. Continuo de braços dados contigo,
    minha amiga. Passear em boa companhia
    é tudo de bom.
    Beijos e beijos, muitos.

    ResponderExcluir
  10. Bom dia Marli,
    Uma crónica maravilhosa abordando o tema de forma alegre e desenvolta!
    Muitas vezes as palavras fogem, escondem-se e, por mais voltas que demos, elas continuam recolhidas!
    Depois num abrir e fechar de olhos aparecem em catadupa e materializam nossos pensamentos.
    Como nesta bela Crónica que prima pela excelência!
    Beijinhos e um bom fim de semana.
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ailime. Fico feliz que você tenha gostado da minha crônica, assim, vale a pena escrever.
      Obrigada por comentar.
      Bjs

      Excluir
  11. Muito bom, aplausos. Quem nunca as perdeu? Mas você as metaforizou de uma forma que amei. Bom final de semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, Norma, acho que acontece com todos. Mas ainda bem que tudo volta ao normal, rapidamente.
      Bjs

      Excluir
  12. Olá, Marli!

    Algumas vezes as palavras também me fogem, quando isso acontece só me resta aguardar que elas e meus pensamentos entrem em sintonia.

    Foi um prazer passar por aqui e te ler.
    Gosto da forma como escreve.

    Um abraço,
    Sônia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sônia.
      Obrigada pelo comentário, volte mais vezes!
      Bjs

      Excluir
  13. Em Portugal dizemos: "Acontece nas melhores famílias" o que significa que acontece a todos, uma vez por outra, ficar sem palavras.
    Neste seu caso você teve muita sorte porque elas, as palavras, não desapareceram todas - restaram umas quantas, as suficientes para vc escrever um texto magnífico, de que gostei imenso!
    Uma imaginação que aplaudo com todo o gosto.
    Parabéns!

    RE: Obrigada pelas generosas palavras deixadas no meu blog.

    Votos de um Domingo feliz
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mariazita,
      Complicado ficar sem palavras, mas ainda bem que elas voltam.
      Bjs

      Excluir
  14. Oi Marli!
    Encontrei teu blog por intermédio de
    um blog que visito.
    Li os posts recentes e gostei.
    As palavras as vezes fogem, mas sempre voltam!
    😘🌺

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ana.
      Que bom que você gostou. Obrigada por comentar e volte mais vezes.
      Bjs

      Excluir
  15. Também gosto e ainda bem que as palavras certas foram surgindo para compor o texto! Boa semana!

    ResponderExcluir
  16. Olá Marli!
    Passando por aqui, relendo esta interessante crónica, e desejar uma excelente semana, com muita saúde.
    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Penso que as palavras brincam com quem gosta de escrever. São caprichosas, mas também muito cúmplices. Gostei do humor com que escreveu este texto excelente.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  18. Aplausossssss pelo seu texto, Marli!!!

    Por certo, as palavras também precisam descansar, assim como nós, precisam respirar outros ares, relaxar, ficar de pernas para o ar, para que voltem mais inspiradas, felizes e plenas!!!

    Eu e as minhas palavras andamos meio assim, passeadeiras, rueiras rsrsrs precisando e querendo descansar, andando devagar, bem devagarinho por aqui...mas, não as forço, as deixo bem livres, as levo andar de bike rsrsrsr até quando elas quiserem dar o ar de suas graças.

    Beijinhos,
    Valéria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô Valéria, você é uma querida!!!!
      Obrigada, mil vezes, pela tua atenção e disponibilidade em fazer o que pedi.
      As tuas palavras são phynas, andam de bike pra lá e pra cá! Coisa boa não é? Mas quando elas voltam acontecem coisas lindas no teu blogue. Já vi muito bem como é que elas funcionam, rs!
      Obrigada, de novo.
      bjs

      Excluir
  19. Ei Marli!
    Bjins de boa leitura
    e se bom dia
    🧚✨
    CatiahoAlc.

    ResponderExcluir
  20. Querida amiga, Marli, como você eu também fico anciosa por aquele grito de liberdade.
    Dias fico igual um pássaro preso, que vejo a porta aberta mas tenho medo de sair, pelo que vejo esse grito de LIBERDADE vai demorar.
    Como você... quantas vezes fico no computador e as palavras voam e voam pra bem longe... então chega a dona "Saúde" e pede atenção.
    Então penso, ?????

    Amiga tenha dias abençoados e boa quinta-feira.

    Beijinhos e meu carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Fatyma, a gente que vive escrevendo sempre tem experiências dessa natureza. Tem horas que a cabeça fica ôca, rs, não sai nada... depois elas brotam e só se ouve o tec-tec no teclado.
      Obrigada por comentar.
      bjs

      Excluir
  21. As palavras brincam connosco, desafiam-nos...Acho que ficam caladas para que o pensamento fique coerente e depois abraçam-nos...
    Interessante o texto....
    Obrigada pela visita
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por comentar, Marta. Ainda bem que voltam.
      Bjs

      Excluir
  22. Olá Marli,
    Espero que esteja tudo bem consigo.
    Este texto está fantástico!!! Parabéns pela enorme inspiração.
    Então agora já sei que quando me faltam as palavras, elas estão todas na rua no maior cochicho :)
    Que o resto da sua semana seja muito feliz.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Isamar!
      Que bom que você gostou. É isso mesmo, assim como nós, as palavras também gostam de passear e namorar a vida.
      Volte sempre por aqui.
      bjs

      Excluir
  23. Boia noite, as palavras por vezes dão um grito por liberdade!
    Deixe -as voar bem alto, depois vem a saudade e elas voltam ao ninho!
    Uma beijoca sorridente!
    Megy Maia🌺🍀🍂

    ResponderExcluir
  24. Há tempo para tudo e, às vezes, ficamos sem palavras e inspirações. De repente, elas voltam com toda graça e formosura, assim como neste texto que acabo de ler. O silêncio também tem o seu lugar de honra na vida de quem escreve ou fala em público.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, minha amiga, que verdade você acaba de dizer sobre o silêncio. Onde posso assinar?
      Obrigada pelo comentário.
      Bjs

      Excluir
  25. Olá, querida amiga Marli!
    Você tem o dom da palavra escrita, solta com liberdade e concatena as ideias muito adequadamente.
    Elas descansam um pouco para que a inspiração se reabasteça.
    Vem renovada, revigorada e promove um texto assim como o que nos presenteia.
    Que Deus abençoe você e sua família com toda sorte de bençãos!
    Beijinhos carinhosos de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Rosélia, você é muito generosa comigo, mas não estou com essa bola toda, rsrssss.
      Obrigada por comentar.
      Bjs

      Excluir
  26. Tu és uma artista para uma crônica tão gostosa com estas meninas, que julgamos nossas amiga fieis, mas que as vezes se acham e saem por aí dando uns rolês e ficamos com cara de veado que viu caxinguelê. Mas quando elas voltam é uma festa amiga.
    Um show de crônica.
    Beijo e paz no coração e que as palavras estejam sempre em nossa frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Toninho, que Deus te ouça, amigo! Quem gosta de escrever assim como a gente, entende muito bem o sufoco que é ficar sem a companhia das palavras, nem que seja apenas por instantes, não é?
      Obrigada pelo generoso elogio!
      Bjs

      Excluir
  27. Temos fases por vezes, que nos deixam sem palavras... mas às vezes penso que gostaria que este problema, acontecesse com algumas pessoas, que quando abrem a boca... mostram o quanto cultivar o silêncio, pode ser uma arte... (por alguma razão... a palavra Jair... percorre-me o avesso do pensamento... e em loop, como exemplo maior).
    O que dizer, Marli? Vivemos tempos desinspiradores... mas que no fundo... nos lembram que os silêncios, por vezes, nos levam para patamares mais fundos, que carecem de reflexão... o mundo passa por uma fase tão estranha e que levou a mudanças tão rápidas... que por vezes, os silêncios, devem ser encarados com naturalidade ... enquanto interiorizamos tanta novidade... mas as palavras sempre nos voltam... assim que as emoções se aquietem um pouco, e a razão, voltam a encontrar um novo patamar de equilíbrio com o coração...
    Fantástico seu texto, Marli! Parabéns!
    Um beijinho!
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário, Ana.
      Ficar sem palavras é complicado... mas ainda bem que elas voltam e a gente fica feliz de novo.
      Que bom que você gostou do meu texto, isso me deixa muito contente.
      Bjs

      Excluir
  28. Quem escreve, sabe: às vezes, isso acontece. :) Ocasiões existem, em que a folha em branco é uma amiga aguardando nossos corações; em outras, mais parece um obstáculo a ser transposto! :) Excelente o post, minha amiga! Meu abraço, boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Árabe.
      Para quem escreve, ficar sem palavras é mesmo um obstáculo a transpor, uma pedra no caminho, rs. Mas a gente contorna e segue em frente.
      Muito obrigada pelo comentário.
      bjs

      Excluir
  29. Só hoje, consegui comentar. Ainda bem que já está tudo normal por aqui! :)

    ResponderExcluir
  30. Que texto fantástico, Marli!! Enquanto tiveres palavras para soltá-las nas horas exatas e brilhantes como sempre fizeste, estarei sempre aqui, lendo e te aplaudindo!! Elas não ficam muito tempo fora, não, voltam sempre porque precisam trabalhar através das tuas ideias.
    Um texto completo, muita poesia nas entrelinhas, o que o tornou lindo e leve
    Um feliz fim de semana, beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Taís!
      Agradeço muito o elogio e fico feliz que tenhas gostado e que estejas sempre por aqui, é uma honra para mim.
      Bjs

      Excluir

BOM VER VOCÊ POR AQUI!
Procurarei responder a todos e retribuir as visitas com a maior brevidade possível. Abraços. Marli