29 novembro, 2015

REDESCOBERTA DO TEMPO


em busca do tempo perdido



A verdadeira alavanca da redescoberta do tempo é a memória involuntária. Aquela memória que "brota" em nós, muitas vezes acionada apenas por um perfume, uma cor, um sabor, uma voz, uma música. O escritor francês Marcel Proust, com apenas um gole de chá e uma mordidinha na "madeleine", (um bolinho em forma de concha) reteve na memória, inesperadamente, material suficiente para escrever sua obra prima, "Em Busca do Tempo Perdido", um dos romances mais lidos da literatura moderna e um dos principais clássicos da história da literatura.

O sabor fez com que ele revivesse detalhes de sua infância que jaziam escondidos na memória. Tudo foi reencontrado e vivenciado na fase adulta. Aquele singelo lanche foi a passagem para uma nova perspectiva sobre sua vida e seu trabalho.

Bom, agora vou tomar um café. Pode ser que minha memória involuntária resolva se manifestar, rsrsrs.

Marli Soares Borges

22 novembro, 2015

RÁPIDA NO GATILHO



rapidez, gatilho



Cardiologista fumante, nutricionista obeso, músico que ouve funk... o ser humano é um mar de ambiguidades. Sempre fico com uma pulga atrás da orelha quando vejo um escritor(a) que nunca publicou um livro de destaque, ditando regras sobre o que se deve ou não deve escrever, dando dicas de como ser um escritor de verdade. Nem conquistou o mercado e quer dar a receita do sucesso? É a mesma coisa que macumbeiro(a) que vive na maior miséria e promete prosperidade ao cliente. E o vidente que não "vê" quem está do outro lado da linha no telefone? Ué, e ele não é vidente, rsrsrs? E os padres aconselhando casais. Faz-me rir. Claro que dependendo dos campos de "expertise" nem sempre o especialista necessita vivenciar o tema do seu estudo, veja-se o câncer, a aids, o suicídio, etc. Mas tem gente que força a barra mesmo. Nunca fizeram nada de relevante em determinada área e já querem ditar regras. Mas tudo bem, se você for competente como essa telefonista aqui: a pessoa assiste na TV a propaganda de um remédio para emagrecer. Liga e pede informações sobre o produto. Lá pelas tantas surge a dúvida: se esse remédio é tão milagroso assim, porque o apresentador não toma para ficar magro e elegante? E a telefonista responde: ele não precisa: ele é gordo de nascença e, ao contrário dos clientes, não é neurótico com o peso dele... kkk

Marli Soares Borges

17 novembro, 2015

MINI CONTO



Era uma vez uma rede social que ligava pessoas. Com o tempo essa rede foi crescendo e virou um palco, um lugar onde todos eram, de alguma forma, incomuns: mais bonitos, mais inteligentes, mais cultos, mais generosos... enfim, mais interessantes. E as pessoas que antes estavam acostumadas a expressarem livremente seus pensamentos, começaram a sentir-se embaraçadas e constrangidas. Ninguém conseguia mais falar com naturalidade sobre sua vida. Então passaram a compartilhar com os outros apenas os seus sucessos, os seus melhores eus. E aquela rede social que antes era tão bacana, passou a ser um local de gerenciamento de imagens, onde as pessoas só se animavam a aparecer fantasiadas, com máscaras e filtros de todas as cores. E assim a conexão humana foi enfraquecendo, enfraquecendo e dissipou-se no ar. E todos viveram felizes para sempre. Mentira. A história ainda não acabou e ninguém anda muito feliz com isso. 

Marli Soares Borges

12 novembro, 2015

NUNCA VI TANTA LAMA



Não há mais rio --
Nas águas turvas de lama
ouço o som da morte.


Marli Soares Borges




Imagem Google - Tragédia em MG: Barragem se rompe e enxurrada de lama destrói distrito de Mariana

06 novembro, 2015

NOVOS TEMPOS



novilíngua, duplipensar



O telefone celular grava suas falas e armazena essas informações. O e-mail, bate-papo e mensagens de texto que você cria, mapeiam suas relações sociais e registram seus pensamentos. As compras no cartão mostram hábitos e gostos. Os termos de pesquisa que você digita no Google ficam gravados e podem ser usados para identificar seu computador. As bases de dados registram outros passos que você dá. Seus desejos mais secretos, as coisas que você jamais contaria a um amigo ou amante são preservadas no computador. Sem falar nas fotos que também dizem muito. E andamos assim,♫ digitando e postando e seguindo a lição, (em novilíngua e duplipensar orwelliano). 

Marli Soares Borges

01 novembro, 2015

CADA UM FICA COM A SUA


cada um fica com a sua



Está cada dia mais rara a reflexão e o debate aqui na rede. O pessoal passa batido, nada de trocar ideias, cada um fica com a sua e pronto! (Mamma mia, preciso parar com esse pensamento de que as pessoas estão indignadas e envolvidas como eu). Acabo sempre esquecendo que os níveis de comprometimento e disposição de cada um para mudar a realidade a sua volta variam bastante. E tem a preguiça mental, esse tipo de preguiça que parece ser muito mais forte do que a inércia pura e simples. Acho que as pessoas ainda não se deram conta do seu poder como indivíduo pensante e escrevente; do poder da palavra que repercute nas redes sociais. É triste notar-lhes o descrédito em suas próprias razões. Jazem esperando uma ação de um deus no qual sequer acreditam. Querem uma sombra onde não plantaram nenhuma árvore. E isso me assusta, juro. É preciso mesmo aceitar, sem contrapor, o que os outros dizem? Nem sempre. Tem ocasiões em que só as luzes da reflexão e do debate são capazes de iluminar o caminho.  - Marli Soares Borges -