14 outubro, 2015

O BOMBOM, A FAXINEIRA E O CHEFE




Para evitar injustiças existe em Direito um princípio denominado "princípio da insignificância" que deriva diretamente da proporcionalidade entre o crime cometido e o dano sofrido. E o caso da faxineira que furtou o bombom do chefe, ilustra bem essa questão. Onde já se viu colocar no mesmo nível de gravidade o ato de furtar (para comer) um bombom do chefe e o ato de roubar um banco, por exemplo? Ah, mas o que se condena é a conduta ilícita, dirão alguns! Ok, ok. Como se vê, o assunto requer lucidez e razoabilidade para que a situação se resolva de maneira adequada. E por falar em razoabilidade, que tal lembrar as palavras do Mestre diante de uma circunstância extremamente complexa: "quem nunca pecou, atire a primeira pedra". (Perceba que estou me referindo a um tipo de condenação imediata que as pessoas fazem em desfavor de outras assim que tomam conhecimento dos fatos, mais ou menos, tipo "condenação prévia", na falta de outro termo que esclareça melhor). E condenar por antecipação é sempre um absurdo. Mas isso não equivale a dizer que somente os que nunca pecaram estarão qualificados para denunciarem graves delitos praticados pelos outros: denunciar é uma coisa; condenar é outra e grave delito é mais outra. (Sei, isso é outro assunto). A liberdade exige muito do ser humano, principalmente responsabilidade. 

Marli Soares Borges

11 outubro, 2015

DEBATE E REFLEXÃO





A reflexão e o debate só são possíveis a partir das convicções -- verdades -- de cada um. Tanto na reflexão como no debate, as suspeitas e as dúvidas podem ser postas em cheque, aprimorando-se o ponto de vista, para, quem sabe, surgirem novas convicções. Quando Nietzsche afirmou que "o oposto da verdade não é a mentira, mas as convicções", acho que ele não quis dizer que o fato das pessoas apostarem no que suspeitam -- em razão de suas próprias convicções -- e duvidarem dos fatos, isso, por si só, negaria "a" verdade e impossibilitaria a reflexão e o debate. Até porque, para ele, não há uma verdade universal, mas as verdades de cada um, na medida em que sobre um mesmo objeto é possível um universo infinito de interpretações, conforme o olhar / perspectiva do intérprete. E vamos combinar que sem as verdades de cada um, o mundo perderia a graça. A meu ver, o que impede o debate e a reflexão é a atitude que algumas pessoas têm de não fazerem o menor esforço para entenderem o pensamento do outro.

Marli Soares Borges

01 outubro, 2015

DIA DO IDOSO, MINHA ORAÇÃO



MINHA ORAÇÃO
 
Senhor, envelheci. Dá-me Tua mão e me ajuda nessa trajetória. Me salva de ser um peso na vida de meus filhos e netos. A simples ideia de vê-los preocuparem-se com minhas doenças, me aterroriza. Por piedade, não me tira a autonomia, não me transforma num vegetal. A vida é tão linda, tem tantas belezas para apreciar e quero que meus filhos e netos não percam oportunidades preciosas de se alegrarem, livres desse tipo de preocupação. Me salva Senhor, me carrega em teus braços, só Tu. Amém. 


Em tempo: em vez de "idoso" prefiro "velhos", uma palavra que acho mais sincera.


Marli Soares Borges, (c) 2013