29 outubro, 2012

FLORES, FLORES, FLORES

Olá turma
Hoje o assunto é Georgia O’Keef  e suas flores maravilhosas.

Georgia O’Keef foi uma pintora norte americana que viveu de 1887-1986. Eu amo os quadros da Georgia e até já andei falando sobre o assunto nesse link  aqui. Confira, você vai gostar. E ainda pretendo postar mais detalhes a respeito, lá no Face.

Li na biografia, que Georgia certa vez observou uma coisa, que pode ser o ponto de partida para entendermos o que a motivou a pintar essas flores tão especiais. Ela disse que ninguém vê uma flor, que a flor é tão pequena; que não temos tempo de parar e ver, mas que ela queria que a gente parasse e olhasse as flores, que tivéssemos curiosidade. E o que foi que ela fez então? Pintou-as assim, gigantes, com detalhes surpreendentes, que só os seus olhos de artista poderiam captar!

Vamos ver como ficaram? (Já sei o que você vai pensar. Por isso vou continuar o assunto lá no Facebook, que possibilita uma boa troca de ideias).






E aí, gostou? Quer saber mais? Diga alguma coisa por aqui, e depois encontre-me lá no Face.  Logo, logo estarei postando por lá.

Beijos a todos.

18 outubro, 2012

DIA INTERNACIONAL DA ERRADICAÇÃO DA POBREZA

Olá turma

Hoje,17 de outubro é o Dia internacional da Erradicação da Extrema Pobreza, criado pela ONU em 1992. A escolha de 17 de outubro aconteceu devido a uma manifestação em Paris (1987), quando as pessoas lutavam para que os direitos fundamentais se tornassem realidade universal. Naquele dia, o padre Josephe Wresinski fez uma afirmação lapidar, absolutamente certa. Disse ele: 
"Onde os homens estão condenados a viver na miséria, os direitos humanos são violados”.   
A respeito da pobreza, deixo aqui um lembrete para você. Encontrei na carta aberta que a professora aposentada Martha Pannunzio, de Uberlândia-MG, endereçou à presidente Dilma. No meu pensar, essa carta é seguramente a voz de milhões de brasileiros, nos quais eu me incluo. Ao longo da missiva, ela manifesta sua indignação pelas tais "bolsa isso e bolsa aquilo, salário isso e aquilo", iniciativas assistencialistas que, sabemos, ao contrário de incluir os mais humildes na sociedade produtiva, os exclui para sempre, viciados que ficam em receber a esmola governamental.  

Agora o lembrete, veja o que ela diz:
"Último lembrete: a pobreza é uma consequência da esmola. Corta a esmola que a pobreza acaba, como dois mais dois são quatro."
E prossegue dizendo:
"Não me leve a mal por este protesto público.
Tenho obrigação de protestar, sabe por quê?
Porque, a cada delírio seu, quem paga a conta sou eu..."
(A íntegra você encontra no Google. É só digitar (sem aspas) -- carta aberta martha --. A carta é longa, mas vale a pena ler)

Volto em breve.
Beijos a todos.

15 outubro, 2012

UM RETRATO DOS TEMPOS ATUAIS

Olá turma,

Que tal dar uma lida nesta frase aqui? Pode ser que você já conheça, mas mesmo assim, vale a leitura!


"Quando você perceber que para produzir precisa obter a autorização de quem não produz nada; quando comprovar que o dinheiro flui para quem negocia não com bens, mas com favores; quando perceber que muitos ficam ricos pelo suborno e por influência, mais que pelo trabalho, e que as leis não nos protegem deles, mas, pelo contrário, são eles que estão protegidos de você; quando perceber que a corrupção é recompensada e a honestidade se converte em auto sacrifício; então poderá afirmar, sem temor de errar, que sua sociedade está condenada." 

A frase foi dita em 1920, por Ayn Rand, uma filósofa -- e profeta, acho! -- russo-americana (judia, fugitiva da revolução russa, que veio para os Estados Unidos). 

Desde muito cedo ela percebeu que o direito do indivíduo à sua própria vida e aos frutos do seu trabalho (propriedade) é um direito inalienável, que nenhum outro indivíduo, grupo, coletividade, classe ou estado pode violar. Isto não é incrível? 

Quando menina ela descobriu que o que é admirável no ser humano é a sua capacidade de ação e liderança, o seu potencial de grandeza e heroísmo -- e que uma vez que a gente descobre isso em nós, não se consegue mais aceitar migalhas! 

Bingo. Taí porque ela disse aquela frase lapidar. Bota visão nisso! 

Volto em breve.
Beijos a todos.

(fonte: foto e biografia na internet)