30 outubro, 2010

AS PALAVRAS ATUAM

Olá!!

Esse texto que você vai ler agora é um dos meus preferidos. Eu acho simplesmente fantástico, bonito, elegante, elaborado. Puro talento. Sua matéria-prima é a palavra, e é impressionante a forma com que o autor(a) expressa seu sentimento. Sigo cada vez mais, fascinada pelas palavras.

Não, não foi bobeira, de onde eu copiei não constava a autoria, mas se você souber, please, me diga. Independente disso, enjoy!!


"Já perdi a voz, já perdi avós, já me perdi em nós e já perdi momentos a sós. Já me perdi em pós. Já recalquei algo atroz. Já naveguei do interior dos sonhos até à foz e já gritei meio louco meio feroz. Já me senti a correr parado e já fiquei estagnado no instante mais veloz. Em todos estes momentos fui pelas palavras. É por lá que caminho. Por uma ponte de consoantes suspensa por inflexões de ritmo, com intertextualidades pendentes. Percorro-a pelas aliterações e através das pontuações, sem reticências... para pontuar o prazer. Porque sou pelas palavras. Uns são pelos cães. Eu sou pelas palavras. Outros são pelas ações. Bem sei que as ações falam. Mas as palavras, essas, atuam. Em qualquer filme ortográfico."
Bom final de semana.

29 outubro, 2010

FELIZ ANIVERSÁRIO ALEXANDRE!!

Olá todo mundo!

É ele, o Alexandre!!! Hoje ele está de aniversário. É um querido amigo virtual, atencioso, educado e culto. Vamos dar as mãos e pedir a Deus que ilumine sua vida e que seus caminhos sejam sempre coloridos!!!

O Blog dele é o "Lost in Japan", um blog que eu adoro e estou sempre por lá.

Um beijo.

P.S. Alê, que horas vai ser a festa? Vai ter trago? Hummm. Prefiro cerveja, e da boa!  De preferência artesanal!! Rsrs.

Beijo.

28 outubro, 2010

BLOGAGEM COLETIVA - MINHA IDÉIA É MEU PINCEL

Olá!!

Meu Deus que vício. Acharam que não teria mais nesse ano? Pois cá estou na blogagem coletiva. De novo. O título?  "Minha ideia, Meu Pincel".  Fiquei superfeliz com a ideia da Glorinha.

O lance é o seguinte: Uma imagem semanal. Regra do jogo: é só olhar e soltar a imaginação. Isso mesmo:criar! *

Voilà!!

Hoje a inspiração vem dessa linda tela de Monet, "Irises in Monet's Garden". Perfeito. Aprecio demais essa tela. É muito linda. Intimista, fala direto ao coração, parece que vem do fundo da alma. Acho que vem sim, pois pelo que sei, ela foi pintada quando Monet estava quase cego. Sempre que boto meus olhos nesse jardim, me vem à lembrança um texto maravilhoso, que vivo lendo e, que me faz muito bem. Tirei um trechinho pra postar aqui. Uma pincelada. Acho que esse colorido grandioso de Monet, casa muito bem com a luminosidade poética de Shakespeare. Ao menos para mim.

Espero que gostem.


"...plante seu jardim e decore sua alma,
em vez de esperar que alguém lhe traga flores.
E você aprende que realmente a vida tem valor
e que você tem valor diante da vida!"
Shakespeare in "Aprender"

Beijos a todos.

* Blogagem coletiva. Blog Café com Bolo.

27 outubro, 2010

FELIZ ANIVERSÁRIO TATI!!

Olá gurizada!

A Tati do "Perguntas em Resposta" está de aniversário hoje. Então, dedico este post à querida aniversariante.

Tati, minha querida amiga,

Não te conheço pessoalmente. Isso não importa. O sentimento de amizade que conquistamos na virtualidade dos blogues vai muito além das linhas materiais que circunscrevem nossa existência. Você já sabe como eu penso e, vou repetir minhas próprias palavras: "...embora as relações sejam virtuais, o sentimento de amizade é real. São interações virtuais, sim. Mas são verdadeiras e habitam um lugar real no coração da gente! E são cheias de luz."

Então guria, no dia em que estás celebrando a tua vida, aprochegue-se e receba meu abraço bem apertado e votos sinceros de muitas alegrias na vida. É isso que te desejo de todo meu coração.

E para celebrar com pompa, vou cantar pra você o parabéns dos gaúchos. Chama-se PARABÉNS CRIOULO. Escuta só:


Parabéns, parabéns //Saúde e felicidade
Que tu colhas sempre todo dia // Paz e alegria na lavoura da amizade.

Que Deus velho te conceda // Com sua benevolência
Muitas, muitas campereadas // No potreiro da existência.

E unidos no mesmo afeto // Te abraçamos neste dia
E para seguir a festança // Repetimos com alegria:

Parabéns, parabéns //Saúde e felicidade
Que tu colhas sempre todo dia // Paz e alegria na lavoura da amizade.


Beijo grande.

26 outubro, 2010

JUSTIÇA CEGA?

Olá!!

Trago hoje pra você uma sentença. Muito dez, como diz minha netinha. Você vai amar! Aposto. É bem antiga, mas superatual. Veja a sensibilidade do juiz e o excelente contraponto que ele faz entre Direito e Justiça.

Aconteceu em 1979 na 5ª Vara Criminal de Porto Alegre. Abriram inquérito contra um desempregado, pela contravenção de VADIAGEM e o juiz Moacir Danilo Rodrigues, arquivou "ex officio" o tal inquérito criminal. Veja só:
"Marco Antônio Dornelles de Araújo, com 29 anos, brasileiro, solteiro, operário, foi indiciado pelo inquérito policial pela contravenção de vadiagem, prevista no artigo 59 da Lei das Contravenções Penais. Requer o Ministério Público a expedição de Portaria contravencional.

O que é vadiagem? A resposta é dada pelo artigo supramencionado: "entregar-se habitualmente à ociosidade, sendo válido para o trabalho..."  
Trata-se de uma norma legal draconiana, injusta e parcial. Destina-se apenas ao pobre, ao miserável, ao farrapo humano, curtido vencido pela vida. O pau-de-arara do Nordeste, o bóia-fria do Sul. O filho do pobre que pobre é, sujeito está à penalização. O filho do rico, que rico é, não precisa trabalhar, porque tem renda paterna para lhe assegurar os meios de subsistência. Depois se diz que a lei é igual para todos! Máxima sonora na boca de um orador, frase mística para apaixonados e sonhadores acadêmicos de Direito. Realidade dura e crua para quem enfrenta, diariamente, filas e mais filas na busca de um emprego. Constatação cruel para quem, diplomado, incursiona pelos caminhos da justiça e sente que os pratos da balança não têm o mesmo peso. 
Marco Antônio mora na Ilha das Flores (?) no estuário do Guaíba. Carrega sacos. Trabalha "em nome" de um irmão. Seu mal foi estar em um bar na Voluntários da Pátria, às 22 horas. Mas se haveria de querer que estivesse numa uisqueria ou choperia do centro, ou num restaurante de Petrópolis, ou ainda numa boate de Ipanema? 
Na escala de valores utilizada para valorar as pessoas, quem toma um trago de cana, num bolicho da Volunta, às 22 horas e não tem documento, nem um cartão de crédito, é vadio. Quem se encharca de uísque escocês numa boate da Zona Sul e ao sair, na madrugada, dirige (?) um belo carro, com a carteira recheada de "cheques especiais", é um burguês. Este, se é pego ao cometer uma infração de trânsito, constatada a embriaguez, paga a fiança e se livra solto. Aquele, se não tem emprego é preso por vadiagem. Não tem fiança (e mesmo que houvesse, não teria dinheiro para pagá-la) e fica preso. 
De outro lado, na luta para encontrar um lugar ao sol, ficará sempre de fora o mais fraco. É sabido que existe desemprego flagrante. O zé-ninguém (já está dito), não tem amigos influentes. Não há apresentação, não há padrinho. Não tem referências, não tem nome, nem tradição. É sempre preterido. É o Nico Bondade, já imortalizado no humorismo (mais tragédia que humor) do Chico Anísio. 
As mãos que produzem força, que carregam sacos, que produzem argamassa, que se agarram na picareta, nos andaimes, que trazem calos, unhas arrancadas, não podem se dar bem com a caneta (veja-se a assinatura do indiciado à fls. 5v.) nem com a vida. 
E hoje, para qualquer emprego, exige-se no mínimo o primeiro grau. Aliás, grau acena para graúdo. E deles é o reino da terra. Marco Antônio, apesar da imponência do nome, é miúdo. E sempre será. Sua esperança? Talvez o Reino do Céu. A lei é injusta. Claro que é. Mas a Justiça não é cega? Sim, mas o juiz não é. Por isso: Determino o arquivamento do processo deste inquérito.


Porto Alegre, 27 de setembro de 1979.
Moacir Danilo Rodrigues - Juiz de Direito - 5ª Vara Criminal."
(Fonte: Suplemento Jurídico do DER/SP nº 108, de 1982)

Beijos.

21 outubro, 2010

TOMOU AÇAÍ, FICOU.

Olá!

Já te contei? Estou em Belém, no Pará. Fugi um pouco do frio. Uma semaninha só, mas está valendo demais! Estou me sentindo tão bem. Esse lugar me tocou profundamente. É um lugar lindo, seguro, a comida é ótima e oferece um misto de natureza e civilização. É frequentado por pessoas simpáticas e despojadas. Quero voltar, com certeza. Desde que cheguei tenho saboreado o energético açaí paraense. Genuíno, puríssimo. Típico da região. Muito bom! Diz que os antigos costumavam anunciar: “Quem vem ao Pará, parou; tomou açaí, ficou”.




Falando em açaí, preciso dividir com você uma coisa que não me entra na cabeça. Escuta só. Pra uma parcela expressiva da população pobre, o açaí é um alimento, às vezes, a única refeição forte do dia. As crianças, na falta do leite, bebem o suco na mamadeira. Beleza? Nada! Elas bebiam. Pois fiquei sabendo que hoje em dia, os paraenses estão comendo menos açaí. Está muito caro, eles não podem comprar. Você consegue entender isso?

Por Deus, a gente sabe que o mundo não é justo, que as coisas são assim como são. Mas eu me pergunto: porque puxar o tapete dessas pessoas? Exigências de mercado? Olha, eu não entendo nada desse assunto, mas quando acontece esse tipo de coisa, acho que o mínimo que se pode fazer é procurar soluções para amenizar a situação. As crianças já não podem tomar leite, e agora nem açaí? A riqueza da região está indo embora? Como? Porquê?

Pra não falar besteiras, tratei de me informar e veja só. Há cerca de dez anos o gosto e as propriedades medicinais do açaí invadiram as academias e praias do Rio e São Paulo. Na onda da eterna juventude e da saúde total, o açaí acabou entrando direto na dieta dos naturalistas, atletas e idosos. Os Estados Unidos e a Austrália importam cada vez mais. Resultado? O açaí ficou tão popular que acabou elitizando-se. Atualmente é oferecido (misturado) em quase todos os Estados brasileiros. E como sobremesa. (Puro mesmo, só direto na fonte, onde estou agora).

O New York Times numa excelente matéria assinada por Seth Kugel, mostra como o açaí é consumido no Pará, no Rio de Janeiro e nos Estados Unidos. Ele comprovou o que os paraenses já sabem e sentem na pele: o preço aumentou com a exportação.

Para ir ao site do The New York Times e ler na fonte – pode clicar aqui. Nessa mesma matéria tem um slide show, de onde eu colei as duas fotos que estão aí em cima. O link das fotos pra você ir direto, está aqui.

Leia sobre as propriedades medicinais aqui.

Era isso. Beijos. Fui.

19 outubro, 2010

A DECISÃO

Ela não aceitou, apenas suportou. Decidiu que enquanto pudesse, guardaria segredo. Deus é testemunha de seu empenho em cumprir o que havia prometido. Mas a situação assumira contornos insustentáveis. Então, naquela noite, ela tomou a decisão mais difícil de sua vida. Empreendeu o que sabia ser o último, o derradeiro esforço para adiar a revelação, mesmo que fosse um pouquinho mais. Era muito grande o amor que os unia e ela não queria magoá-lo.

Aonde vais, vou dar uma saída, volto logo. Não, por favor, preciso saber, quero saber o motivo dessa angústia, desse tormento que te rouba o brilho do olhar, serei eu a causa, sei, já não me amas. Ela respondeu que seu amor era o mesmo, intacto, profundo, intenso, sem medida. Contendo as lágrimas, virou as costas e saiu.

Foi então que ele leu o bilhete. Jamais poderia imaginar que aquela letrinha miúda, que tantas vezes alegrara seu coração, estivesse agora falando palavras tão pungentes. Lendo, deu-se conta de que não havia mais nada a fazer: tudo aconteceria como estava traçado no Grande Livro da vida.

E assim aconteceu.

O tempo ajudou-o a superar a tristeza, mas ele nunca mais foi o mesmo, jamais se conformou. Tornou-se introspecto e sorumbático. Perdeu a fé, e passou a habitar as sombras da angústia. É refém de sua própria humanidade. Consome seus dias a procura de uma explicação racional que o faça entender os mistérios da morte e do renascer.

*

Não creio que ele possa ter acesso a esse entendimento. Para mim, a morte e o renascer são as duas grandes incógnitas da vida e, racionalmente, não há explicação. Só especulação. A luz está na transcendência.

Marli Soares Borges

16 outubro, 2010

CARTÃO DE VISITAS

Olá!

Ontem acompanhei meu marido numa pequena viagem, a trabalho. Já falei pra você, adoro viajar de carro. Passo Fundo fica a pouco mais de 300km de Porto Alegre. Saímos de manhã bem cedinho e às 14h30h iniciamos o retorno.


Beleza! Trânsito tranquilo. Às 18h já estávamos chegando em Porto Alegre e, pelo pouco que faltava percorrer, calculamos que, no máximo, em uma hora estaríamos em casa. Era isso. Mas, esquecemos um detalhe: o suplício que é chegar em Porto Alegre, via Canoas! A entrada da capital, a essa hora, é um péssimo cartão de visitas. Uma tristeza, o trânsito simplesmente não anda. Dá nos nervos. Nas proximidades do Aeroporto Salgado Filho, bateu a aflição: todos os carros do mundo estavam ali parados e, descobrimos que não há uma ruazinha lateral pra gente fugir. Misericórdia.

Aí você anda mais um pouco e dá de cara com um dos motivos daquela tranqueira toda: o viaduto Leonel Brizola. Desde que foi entregue --em 2008--, esse viaduto vem aumentando os transtornos no trânsito. Os taxistas até o apelidaram de "Viaduto da Tranqueira", "Viaduto da Politicagem", pois essa construção nada mais é do que um elefante branco, pra passarem três ou quatro carros em cima. E o problema pontual, que há muito pede solução, continua atirado às traças. Quem está chegando à Porto Alegre, por essa via de acesso, sinceramente, tem vontade de voltar. Mas se você chegou até Canoas, esqueça, você agora está no brete, e isso quer dizer que você não pode nem sequer arquitetar um plano de fuga. Portanto, aguentaí.

E, pra completar, embaixo do tal viaduto ainda colocaram semáforos! Vai ver pra solucionar aquela tranqueira constante, os doutores do trânsito pretendiam mesmo era colocar os tais semáforos, mas pra não fazer feio perante os usuários com uma solução tão ingênua, resolveram construir um viaduto. Rsrs!! É pra matar!!! Haja saco. Eu falei doutores do trânsito? Ops. Desculpe, acho que me enganei. Mas você sabe muito bem a quem me referi.

Só pra constar: chegamos em casa às 22h! É mole?

Beijos e um ótimo final de semana.

13 outubro, 2010

AVATAR - JAMES CAMERON

Olá, todo mundo.

Você já viu Avatar, de James Cameron? Aposto que sim. Eu também. E adorei.


Sabe-se que para os efeitos especiais desse filme foram utilizadas as mais modernas técnicas e que os resultados superaram até os da trilogia "O Senhor dos Anéis". Este filme custou nada mais nada menos que 300 milhões de dólares, fora os custos de publicidade.

Há mais de dez anos atrás, Cameron já havia mostrado a que veio com outro filme campeão de bilheteria, o "Titanic" de 1997. Agora, ele trouxe um longa de cair o queixo, que agradou em cheio a crítica. Ouvi dizer que Cameron demorou anos na preparação desta obra e que ele esperou até que existisse a tecnologia certa que lhe permitisse criar o que havia imaginado. Cameron é Cameron!


O filme é todo em 3D e tem quase 3 horas de duração. Achei a história super original, tem um romance proibido,(porém, possível), entre pessoas de tempos e mundos diferentes. O cenário é maravilhoso, com lugares e florestas paradisíacas. A atmosfera é deslumbrante, carregada de significados. É visualmente revolucionário, de encher os olhos.

No enredo, os humanos é que são os maus. No decorrer do filme, é dificil evitar comparações com a atual situação do nosso planeta, cuja degradação ambiental crescente é culpa exclusiva homem. Para mim, esse filme é muito mais do que uma avalanche tecnológica de efeitos especiais. Ele é uma relação de causa e efeito entre a humanidade e o planeta. Ele traz em seu bojo uma mensagem de paz, ou melhor, anti-guerra, evidenciada pelo cineasta com a força dos aparatos tecnológicos que todo mundo comenta. Vi no filme uma mensagem de alerta. Aliás, o próprio diretor definiu, "Avatar" como uma metáfora sobre como a humanidade trata o lugar onde vive.

VOU FAZER UM RESUMO APERTADO DA HISTÓRIA, só pra você ter uma idéia.

Em 2154 os humanos destruiram o ambiente e a terra está morrendo. Para sobreviver precisamos de um mineral que existe apenas na lua de Pandora (que lembra a Terra há milhões de anos, com plantas selvagens e animais gigantes) que é habitada por seres Na’vi, uma espécie quase humana, um povo ligado essencialmente à natureza. Um povo pacífico que tem profundo respeito pelo seu habitat natural.

Nesse contexto Jake Sully, ex-fuzileiro naval e paraplégico, recebe a missão de substituir seu irmão morto ocupando seu Avatar (um corpo criado em laboratório onde sua mente é conectada, mas fisicamente igual aos Na’Vi). Através do Avatar, Sully volta a andar. Ele deverá aproximar-se da civilização e comunicar-lhes que o lugar onde vivem será destruído para exploração do tal minério e que se não concordarem em retirar-se o mineral será tomado à força. 

Entramos agora no desenvolvimento do filme, onde virá à tona a problemática do personagem Jake, que terá de fazer a opção mais importante de sua vida. É que, para conseguir infiltrar-se na civilização, ele recebe ajuda de uma jovem Na'vi, por quem se apaixona. Ao mesmo tempo, ao conviver com os nativos ele acaba se convencendo de que a atitude que os humanos tomarão só servirá para causar destruição e sofrimento sem os levar a lugar algum, pois o problema, no fundo, é uma questão de valores, achar que a natureza está a serviço do homem, refém de sua exploração desmedida. Jack percebe que com esse pensamento "invertido", em qualquer lugar que os humanos pisarem deixarão as marcas da irresponsabilidade. Mas agora, é hora de encarar seu dilema existencial: escolher entre a vida real na terra junto com os humanos e o novo amor, que pressupõe a vida em um novo mundo, um novo lar.

Interessante, recomendo.

Era isso. Fui. Até breve.

11 outubro, 2010

SUCESSO: A LÓGICA DO ABSURDO

Olá! Tenho recebido e-mails pedindo pra eu escrever sobre trabalho e sucesso. Ok. Acabo de lembrar um episódio que vem a calhar nessa empreitada.

Seguinte. Acompanhei uma amiga no velório de um parente dela. Sim, faz tempo. O falecido aparentava uns 40, 50 anos de idade. A viúva e os filhos estavam tristes, mas, curioso, era uma tristeza capenga. Não me olhe assim, não sei explicar, era como se aquela morte fosse um acontecimento banal. Parecia não ser essa a primeira vez que o cara morria. Tá bom, esquece, é sandice minha. Mas foi a impressão que tive. Que coisa, uma família morna...

O morto? Sofrera um enfarte fulminante. Era um homem notável: muito trabalhador, ótima saúde, bem de vida. Um sucesso. Mas digo a você que tantos elogios, aliados ao enfarte, não me cheiraram muito bem. Pô, um cara saudável, com tantos predicados, e tanta vida pela frente, morrer assim, de enfarte, sem mais nem menos? Aí tem.

Quero ver o outro lado da moeda.

Gente! O de cujus era obcecado pelo trabalho e pelo sucesso!! Férias? Nem pensar. Não estava nem aí para a família. A mulher, coitada, acabara se resignando em levar a vida, só com os filhos, sem a presença do marido. Em algum momento da vida ele transformara-se num workaholic! Pobre homem de sucesso, pobre família infeliz!!


Acredito que no coração da mulher e dos filhos, ele já estivesse morto, bem antes de deixar o mundo dos vivos. Daí a tristeza capenga a que me referi. O excesso de trabalho o impedira de ser presença na família. Ele sucumbiu ao frenesi do sucesso e abandonou todos os seus afetos. E a família para não desmoronar, tratou de jogá-lo pra escanteio. E ninguém lhe deu atenção. Ao sentir que perdera o amor da família, por óbvio, seu coração não suportou.

Mas, e daí se ele foi um homem de sucesso? Felicidade? Quem se importa?

Caramba, não consigo entender essa lógica do sucesso. Acho que o problema é que a sociedade desaprova bêbados e drogados, mas aprova e até admira quem trabalha demais, mesmo que o trabalho seja um vício e acabe desintegrando a família. Isso pra mim é a lógica do absurdo! Completamente sem sentido. É burrice, avareza, ambição, doença, o escambau! Tenho verdadeiro horror a essa mania insana que a sociedade tem de enfiar na cabeça das pessoas, que devem se matar trabalhando e ganhar bastante dinheiro para, então sim, alcançarem o sucesso! Como se esse tal sucesso fosse o passaporte pra felicidade. Mas não! É uma imposição que adoece a humanidade, na medida em que impede as pessoas de tomarem atitudes, que segundo seus próprios critérios, se mostrem mais adequadas para suas vidas.

Por Deus, pra mim, sucesso é outra coisa. Tem a ver com trabalho, dedicação, fé e lazer. Inclui o equilíbrio nas ações. Reconheço que algumas vezes o trabalho exige de nós uma atenção bem maior. Mas nada que nos impeça de equilibrar e até compensar o outro lado com momentos de qualidade. Um remanejamento de prioridades. É assim a vida. São apenas trocas. Mas genuínas e sinceras, de momentos e emoções, boas e ruins, alegres e tristes. O dinheiro é superimportante também, aliás, sobre isso já falei aqui. O dinheiro é a mola mestra do mundo. Adoro trabalhar e ganhar dinheiro. Mas dinheiro ganho trabalhando e não se matando de trabalhar, afinal, "nem só de pão vive o homem".

E assim vou terminando minhas brevíssimas considerações sobre sucesso e trabalho. Se restou parecendo que não ligo para o trabalho, nada disso, ao contrário, sou plenamente a favor do trabalho, mas se as pessoas à sua volta reclamarem demais a sua presença, sugiro um stop, uma avaliação sincera. O trabalho é gratificante, mas não pode ser a única razão de viver.

Beijos e bom início de semana.

08 outubro, 2010

APOIO LOGÍSTICO

Olá, todo mundo!

Aconteceu há muito tempo atrás e foi tão inusitado que nunca mais esqueci. Meus filhos eram bem pequenos. Eu estudando e trabalhando, num malabarismo sem igual. Minha avó me dava uma baita ajuda com as crianças, mas apesar de tudo, pra dar conta do recado eu dormia muito tarde e pulava supercedo da cama. Acordava moída. Já viu, era eu e o zumbi, rsrs!! Até o dia em que não aguentei mais e resolvi buscar um apoio logístico. Óbvio, empregada doméstica, só podia. Anunciei no jornal e num passe de mágica, elas apareceram. Muitas, milhares, o mundo inteiro. Ufa! Era só entrevistar e contratar. Mãos à obra! Entrevista daqui, entrevista dali e eis que uma delas, antes que eu abrisse a boca, interpelou-me: quanto é que a senhora paga? Bom, respondi, faça sua proposta, quanto você quer ganhar pelo teu trabalho?


Aí ela me vem com essa pérola: "eu cobro x se for sem pense e x+y se for com pense". Caracas. Nem é preciso dizer que caí de cara e nadei direto na maionese. Meu Deus, que é isso? Que história é essa de "com pense" e "sem pense"? E porque diabos "com pense" é tão mais caro? Well, well, explica esse babado aí, garota, que não entendi bulhufas. Ah, é bem simples, ela falou: "se eu tiver que pensar o que vou fazer de comida todos os dias é x+y. Se eu não tiver que pensar, ou seja se a senhora me disser que comida devo fazer é x."

Gente, derrubei o queixo.

Se a contratei? Não. Muito espertinha ela. Esperteza do mal, não gostei. Contratei outra, inteligente e esperta, mas do bem. Trabalhou comigo por muitos anos. Depois mudei de cidade e ela teve que ficar. C'est la vie.

Em tempo: devo um agradecimento ao meu marido que nunca me deixou na mão. Ele sempre dizia: se precisar, te dou uma força, falto o serviço e te ajudo. E precisei da força, muitas vezes.

Beijos.

06 outubro, 2010

COMO ABRAÇAR UM BEBÊ

Olá!!

Você sabe abraçar um bebê?  Logo imaginei. Não se preocupe, é só seguir as instruções e pronto. Tenha um bebê bem abraçadinho, todinho pra você.
Enjoy.

1.  Ah... Encontre um bebê :)

2. Tenha a certeza de que é um bebê.
Utilize a técnica do 'faro'.
. 
3. Amasse bem o bebê até ele ficar bem fofinho.
Esse é o 'ponto de abraço'.

4. Agora inicie o processo.
Utilize a técnica do 'deslize de patas'

5. Pronto. O bebê é todo seu. Bem abraçadinho. 
Pegue sua câmera e click!!!

E aí, gostaram? 
Gente, recebi essas imagens hoje, por email. O texto eu fiz uma minirreforma. Mas, sinceramente, merecia um post, não acham?
Beijos

OBS.: Não sei de quem são as imagens, mas como chegaram por email, resolvi publicar. Se alguém sentir-se ofendido com alguma coisa, basta avisar, que excluirei o post. 

05 outubro, 2010

SABIÁ-LARANJEIRA

Olá, pessoal.

Todos esses que aí estão atravancando meu caminho, eles passarão... eu passarinho! Aposto que você já conhece esses dizeres, não é? São dele, Quintana, nosso simpático (e injustiçado) velhinho. A propósito, hoje é 5 de outubro, "Dia da Ave". É o dia também do sabiá-laranjeira, pássaro brasileiro, a ave-símbolo do Brasil.


Muito tempo antes do presidente Fernando Henrique Cardoso assinar o decreto que elevaria o sabiá à categoria de ave-símbolo do Brasil, a voz do poeta Gonçalves Dias já se fazia ouvir na "Canção do Exílio" (1843), quando, com saudades da pátria, lembrou a figura do sabiá. "Minha terra tem palmeiras, onde canta o Sabiá"

O sabiá é uma ave muito querida de todos nós. Ele tem hábitos simples e é nosso companheiro em todos os lugares onde a gente vive, no campo ou na cidade. Mas para que o sabiá pudesse juntar-se oficialmente e figurar no mesmo patamar de importância que possuem os quatro símbolos nacionais existentes – a bandeira, o hino, o selo e o brasão de armas, ele teve de ser escolhido entre quase duas mil espécies de aves.

O critério de escolha ora recaia na plumagem, ora recaia no canto, na moradia, etc. Enfim, critério foi o que não faltou. Alguns queriam para representar o país uma ave que ostentasse uma plumagem com as cores brasileiras, outros achavam que seria mais adequado uma ave com um canto mais raro. E por aí seguiram os argumentos.

Mas, no meu pensar, o ornitólogo Johan Dalgas Frisch, argumentando a favor do sabiá, colocou uma pá-de-cal sobre o tema quando disse: "Não adianta uma ave-nacional com a qual o povo não tem contato." E prossegue: “Não é só beleza, ou só o trinado mais harmonioso que conta para ser ave-símbolo de um país. É preciso fazer parte da cultura, do folclore, ter presença na literatura, na poesia, na música e viver perto das pessoas." E isso, digo eu, todos sabemos, é com o sabiá!

Já estamos acostumados. Desde criança a gente ouve o canto do sabiá e os vê pousados nos galhos das árvores. Inúmeras vezes vemos eles andarem no solo, catando minhocas e pequenas frutinhas para se alimentar. Eles vem de mansinho e se aproximam de nós. São eles que se aproximam de nós. Quando se acostumam com a gente, ah, aí eles nem se importam mais com os movimentos do nosso andar. Ficam por ali mesmo, nos fazendo companhia, felizes da vida.

Onde moro vivem muitos sabiás, eu os vejo todos os dias, e na primavera, acordo sempre ouvindo aquele canto inconfundível. Agora, preciso confessar uma coisa: Para mim o cantar matinal do sabiá, me deixa muito animada, mas quando ele canta depois do almoço e estou no escritório (na cidade), me dá uma preguiça, que só vendo.

Um parêntese: Você já sabe, mas não custa lembrar: moro num sítio, em zona rural. Meu escritório é que fica na cidade, e bem na janela tem uma árvore gigante, um condomínio de sabiás.

Não sei nada científico a respeito do sabiá, mas andei dando uma olhadinha rápida e fiquei maravilhada com a quantidade de informações que povoam a web. Só sei que na vida e nas artes em geral, temos registros belissimos sobre essa criaturinha tão simples e dócil que é o sabiá. Em tempo: lembra aquela música "Sua Majestade o Sabiá"? Linda, não? Clique e ouça aqui. Antes veja alguns versos.
Ah! To indo agora pra um lugar todinho meu
Quero uma rede preguiçosa pra deitar
Em minha volta sinfonia de pardais
Cantando para a Majestade, o Sabiá
A Majestade, o Sabiá.
Ei, já estou me estendendo demais. Contudo, é impossível finalizar esse post, sem trazer um dado científico que li num texto sobre o sabiá: "No reino de sua majestade, o sabiá, machos e fêmeas ... e ambos constroem o ninho." Sublinho: "ambos constroem o ninho".


Esse companheirismo não é maravilhoso?

Gente, fui. Até breve.

04 outubro, 2010

SILVESTRE NÃO É PET

Olá pessoal,

Please, ajude a divulgar e se você estiver no Rio de Janeiro, participe. É muito importante para todos nós. Eu, infelizmente estou em Porto Alegre no Rio Grande do Sul.

O Documentário “SILVESTRE NÃO É PET!” será lançado em 17 Estados brasileiros. Baixe o convite aqui.


Poster do documentário "Silvestre não é Pet"
© WSPA Brasil

Um documentário inédito, gravado no Brasil, discute a questão da posse de animais silvestres em áreas urbanas e no convívio com pessoas. O lançamento da produção, organizado pela WSPA e suas ONGs afiliadas, será feito em 17 Estados brasileiros e terá início na segunda semana de outubro (a Semana Mundial dos Animais).

A produção será exibida em universidades, escolas, comunidades e eventos exclusivos para o lançamento do DVD.

* * * * * * * *

Hoje é o Dia Mundial dos Animais
Dia de São Francisco de Assis 

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DOS ANIMAIS
UNESCO

1 - Todos os animais têm o mesmo direito à vida.
2 - Todos os animais têm direito ao respeito e à proteção do homem.
3 - Nenhum animal deve ser maltratado.
4 - Todos os animais selvagens têm o direito de viver livres no seu habitat.
5 - O animal que o homem escolher para companheiro não deve ser nunca ser abandonado.
6 - Nenhum animal deve ser usado em experiências que lhe causem dor.
7 - Todo ato que põe em risco a vida de um animal é um crime contra a vida.
8 - A poluição e a destruição do meio ambiente são considerados crimescontra os animais.
9 - Os diretos dos animais devem ser defendidos por lei.
10 - O homem deve ser educado desde a infância para observar, respeitar e compreender os animais.

P r e â m b u l o :  
  • Considerando que todo o animal possui direitos;
  • Considerando que o desconhecimento e o desprezo desses direitos têm levado e continuam a levar o homem a cometer crimes contra os animais e contra a natureza;
  • Considerando que o reconhecimento pela espécie humana do direito à existência das outras espécies animais constitui o fundamento da coexistência das outras espécies no mundo;
  • Considerando que os genocídios são perpetrados pelo homem e há o perigo de continuar a perpetrar outros;
  • considerando que o respeito dos homens pelos animais está ligado ao respeito dos homens pelo seu semelhante;
  • Considerando que a educação deve ensinar desde a infância a observar, a compreender, a respeitar e a amar os animais,
Proclama-se o seguinte

Artigo 1º  Todos os animais nascem iguais perante a vida e têm os mesmos direitos à existência.
Artigo 2º
1.Todo o animal tem o direito a ser respeitado.
2.O homem, como espécie animal, não pode exterminar os outros animais ou explorá-los violando esse direito; tem o dever de pôr os seus conhecimentos ao serviço dos animais
3.Todo o animal tem o direito à atenção, aos cuidados e à proteção do homem.
Artigo 3º
1.Nenhum animal será submetido nem a maus tratos nem a atos cruéis. 2.Se for necessário matar um animal, ele deve de ser morto instantaneamente, sem dor e de modo a não provocar-lhe angústia.
Artigo 4º
1.Todo o animal pertencente a uma espécie selvagem tem o direito de viver livre no seu próprio ambiente natural, terrestre, aéreo ou aquático e tem o direito de se reproduzir.
2.toda a privação de liberdade, mesmo que tenha fins educativos, é contrária a este direito.
Artigo 5º
1.Todo o animal pertencente a uma espécie que viva tradicionalmente no meio ambiente do homem tem o direito de viver e de crescer ao ritmo e nas condições de vida e de liberdade que são próprias da sua espécie.
2.Toda a modificação deste ritmo ou destas condições que forem impostas pelo homem com fins mercantis é contrária a este direito.
Artigo 6º
1.Todo o animal que o homem escolheu para seu companheiro tem direito a uma duração de vida conforme a sua longevidade natural.
2.O abandono de um animal é um ato cruel e degradante.
Artigo 7º
Todo o animal de trabalho tem direito a uma limitação razoável de duração e de intensidade de trabalho, a uma alimentação reparadora e ao repouso.
Artigo 8º
1.A experimentação animal que implique sofrimento físico ou psicológico é incompatível com os direitos do animal, quer se trate de uma experiência médica, científica, comercial ou qualquer que seja a forma de experimentação.
2.As técnicas de substituição devem de ser utilizadas e desenvolvidas.
Artigo 9º
Quando o animal é criado para alimentação, ele deve de ser alimentado, alojado, transportado e morto sem que disso resulte para ele nem ansiedade nem dor.
Artigo 10º
1.Nenhum animal deve de ser explorado para divertimento do homem.
2.As exibições de animais e os espetáculos que utilizem animais são incompatíveis com a dignidade do animal.
Artigo 11º
Todo o ato que implique a morte de um animal sem necessidade é um biocídio, isto é um crime contra a vida.
Artigo 12º
1.Todo o ato que implique a morte de grande um número de animais selvagens é um genocídio, isto é, um crime contra a espécie.
2.A poluição e a destruição do ambiente natural conduzem ao genocídio.
Artigo 13º
1.O animal morto deve de ser tratado com respeito.
2.As cenas de violência de que os animais são vítimas devem de ser interditas no cinema e na televisão, salvo se elas tiverem por fim demonstrar um atentado aos direitos do animal.
Artigo 14º
1.Os organismos de proteção e de salvaguarda dos animais devem estar representados a nível governamental.
2.Os direitos do animal devem ser defendidos pela lei como os direitos do homem.
Beijos a todos.

02 outubro, 2010

QUEM JÁ PASSOU POR ESSA VIDA E NÃO VIVEU

Olá!

Gente, acabo de entrar no túnel do tempo e, olha só quem encontrei. Vinícius de Morais. Fantástico.
Suas músicas são um arraso e, embora todas estejam no primeiro escalão, tem uma que adoro e me identifico demais com a mensagem, pois é exatamente o que penso em relação à vida... ao viver em si. Essa música me ganhou e até hoje está no top das minhas preferidas. E lá se vão mais de 40 anos! Chama-se "Como Dizia o Poeta".  Aposto que você também vai se encontrar nesses versos oriundos da aguda percepção da realidade e da notória coragem de Vinícius em dizer o que pensa, de maneira tão sensível e poética.



Quem já passou por essa vida e não viveu
Pode ser mais, mas sabe menos do que eu
Porque a vida só se dá pra quem se deu
Pra quem amou, pra quem chorou, pra quem sofreu
Ah, quem nunca curtiu uma paixão nunca vai ter nada, não

Não há mal pior do que a descrença
Mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão

Abre os teus braços, meu irmão, deixa cair
Pra que somar se a gente pode dividir
Eu francamente já não quero nem saber
De quem não vai porque tem medo de sofrer
Ai de quem não rasga o coração, esse não vai ter perdão
Quem nunca curtiu uma paixão, nunca vai ter nada, não...

Beijos.

UP DATE: Gente, a Aracy, do Blog "A Música & Eu", se inspirou e fez hoje um post com essa música. Se quiserem conhecer a melodia, é só dar um pulinho .

Acabo de voltar do Blog "Profundo Pensar" do Hamilton. Ele fez um poema, ultrassintonizado com essa música. Clique aqui e leia, você vai adorar!
Bjssssss