31 março, 2010

RETRATO FALADO

Olá corujas, corujinhas e corujões, tem alguém acordado ainda?


Recebi hoje um email que achei um barato. Já estou postando direto pra vocês. Okay, muitos já devem conhecer, afinal, emails, sabe como é, vão e voltam. Eu mesma, tenho a impressão que já andei lendo algo parecido, mas deixa pra lá.  Se você já leu, fique frio, tem gente que ainda não conhece. Eu achei muito legal, gostei da sutileza do discurso, da conotação, do retrato dos personagens, observe. A propósito, como estava sem título,  tratei de achar um que fosse condizente, até pensei em oportunismo e tals, mas por razões óbvias, optei por esse que aí está: "retrato falado".  O texto é leve, bem humorado, parece ser pura farra, diversão somente. Mas é sério e tem uma mensagem que você vai entender de cara. Vai rir, mas vai entender, claro, sem essa de texto "neutro", onde já se viu? E tem gente que jura pela alma do tio-Zé que seus textos primam por absoluta neutralidade. Ahã, sei.  Nossa, agora me empolguei e fugi do assunto. Voltando. Adorei a idéia do autor, só acho que ele poderia ter trocado pelo menos um dos protagonistas por outro mais moderninho, rsrs. Sei lá. Brincadeira, está corretíssimo. Você vai ver, é um baita texto, superinteligente, filosofia pura e da boa. Ou não é?  Ixi, não paro mais de falar! Agora chega, vamos ao que interessa. Ah, quem souber o nome do autor me avise, please.
"Um dia, Deus, muito triste e insatisfeito com a humanidade pecadora, decidiu pôr um fim a tudo. Reuniu então todos os líderes mundiais para comunicar-lhes pessoalmente a sua decisão de acabar com a humanidade em 24 horas. Disse-lhes então: Decidi reuni-los aqui para comunicar-lhes pessoalmente que extinguirei a humanidade em 24 horas. 
E o povo dizia: mas, Senhor... Nada de MAS, cheguei ao limite, a humanidade desaparecerá da Terra para todo o sempre! Voltem aos seus Países e digam ao Povo que estejam preparados, têm 24 horas!
O primeiro a reunir o povo foi OBAMA. Em mensagem à nação, ele disse: Americanos, tenho uma boa e uma má notícia para dar. A boa notícia é que Deus existe e que ele falou comigo, mas, claro, já sabíamos disso. A má notícia é que esta grande Nação, o nosso grande Sonho, só tem 24 horas de existência. Esse é o desejo de Deus.


Fidel  Castro reuniu os cubanos e disse:  Camaradas, povo Cubano, tenho duas más notícias.  A primeira é que Deus existe, sim, eu o vi, estava na minha frente!!! Estive enganado este tempo todo...  A segunda má notícia é que em 24 horas esta magnífica Revolução pela qual tanto temos lutado, vai deixar de existir.


No Brasil, Lula dá uma coletiva à imprensa:  Brasileiros e brasileiras, hoje é um dia muito especial para todos nós. Tenho duas boas notícias. A primeira é que eu sou um enviado de Deus, um mensageiro, conversei com ele pessoalmente. A segunda é que, conforme constava do Programa do Governo, em apenas  24 horas, serão erradicados para sempre do país, o desemprego, o analfabetismo, o tráfico de drogas, a corrupção, a pedofilia, os problemas de transporte, de água e luz, de habitação e toda essa burocracia. Mas o melhor de tudo é que todos os impostos vão acabar, assim como a miséria e a pobreza neste País!!  É o Governo cumprindo tudo o que prometeu!!!"

Bom, por enquanto era isso. Fui. Boa noite.

29 março, 2010

BLOGAGEM COLETIVA - COLORINDO A VIDA - COR AMARELA

Olá!

Nesse domingo chuvarento, nesse tempo de cara amarrada, sabe o que mais, vou tratar de fazer meu post pra amanhã, que vou participar da Blogagem Coletiva da minha amiga Glorinha. Ihuuu! E vou abraçar uma cor esplendorosa, ouviu? Adivinhe. Sei, sei, você já sabe, está no título do post. Então dá só uma olhadinha nesse Ipê-amarelo. E aí, não é lindo? Não é uma beleza essa árvore que tem de montão por aqui nesses pagos do sul?  Essa árvore é surpreendente, ela é magestosa, é um verdadeiro deleite para os olhos. É crendice popular que, quando o ipê-amarelo floresce, as geadas já eram. Sou fascinada por esse encanto que a natrureza nos dá. O Ipê-amarelo enfeita a vida. Bem, pelo menos a minha. :)


De repente esse esfuziante amarelo vai ser o pir-lim-pim-pim-do-tempo-bom, vai levar pra longe essa umidade, essa coisa mais sem graça em que virou o dia de hoje. Quero cor, quero sol, quero vida, quero ver gente na rua se deliciando com esse outono que é sempre tão lindo aqui no sul, que traz uma profusão de cores, e muito, mas muito amarelo! Xô, domingo emburrado!  E você hein Glorinha, escolheu amarelo e acertou em cheio!!!  Feiticeira!!! hehe.

Minha amiga, amanhã, bem cedinho, apronte essa delícia de Café com Bolo que tô chegando, de amarelo, e... Colorindo a Vida com você!

Além desse amarelíssimo, eu trouxe também uma coisa que sei que vocês vão amar!  É a letra de uma música, linda, linda, linda. Uma poesia e tanto.  É "Aquarela", eu simplesmente me encanto e canto, sempre.




Numa folha qualquer // Eu desenho um sol amarelo
E com cinco ou seis retas // É fácil fazer um castelo...
Corro o lápis em torno // Da mão e me dou uma luva
E se faço chover // Com dois riscos
Tenho um guarda-chuva...

Se um pinguinho de tinta // Cai num pedacinho
Azul do papel // Num instante imagino
Uma linda gaivota // A voar no céu...

Vai voando
Contornando a imensa // Curva Norte e Sul
Vou com ela // Viajando Havaí
Pequim ou Istambul // Pinto um barco a vela
Branco navegando // É tanto céu e mar
Num beijo azul...

Entre as nuvens // Vem surgindo um lindo
Avião rosa e grená // Tudo em volta colorindo
Com suas luzes a piscar...
Basta imaginar e ele está // Partindo, sereno e lindo
Se a gente quiser // Ele vai pousar...

Numa folha qualquer // Eu desenho um navio
De partida // Com alguns bons amigos
Bebendo de bem com a vida...

De uma América a outra // Eu consigo passar num segundo
Giro um simples compasso // E num círculo eu faço o mundo...
Um menino caminha // E caminhando chega no muro
E ali logo em frente // A esperar pela gente
O futuro está...

E o futuro é uma astronave // Que tentamos pilotar
Não tem tempo, nem piedade // Nem tem hora de chegar
Sem pedir licença // Muda a nossa vida
E depois convida // A rir ou chorar...

Nessa estrada não nos cabe // Conhecer ou ver o que virá
O fim dela ninguém sabe // Bem ao certo onde vai dar
Vamos todos // Numa linda passarela
De uma aquarela // Que um dia enfim
Descolorirá...

Numa folha qualquer // Eu desenho um sol amarelo
(Que descolorirá!)
E com cinco ou seis retas // É fácil fazer um castelo
(Que descolorirá!)
Giro um simples compasso // Num círculo eu faço
O mundo
(Que descolorirá!)...

Beijos. Fui.
Eu tinha uma animação superlegal, mas perdi o link. Quando achar coloco aqui pra vocês.
ACHEI!!!! Eis o link

26 março, 2010

TEMPO PARA CONTAR ESTRELAS

Conte minha filha, conte, quantas você puder, olhe elas estão sorrindo pra você! Não pense em nada, só conte as estrelas... Você vai ver, elas são mágicas, é só contar e a alegria vem. E a tristeza vai embora. Sabe, filhinha, vou te contar um segredo, conforme a gente olha para o céu e conta, nosso coração se acalma e ao mesmo tempo, cada estrelinha nos entrega um sorriso e um brilho, e a gente começa a se alegrar. Acredite, é verdade. Experimente, você vai ficar brilhante e sorridente e todo mundo vai gostar de você. Ninguém gosta de pessoas tristes, você sabia? A tristeza faz as pessoas ficarem muito feias. Nunca esqueça de levantar a cabeça, olhar para o céu e contar as estrelas.

E a menininha seguiu contando as estrelas e quanto mais contava, mais sentia a alegria invadir seu coração. Ela não se descuidava, não se deixava entristecer. Ela era capaz de "sentir" em sua alma a intensidade do brilho e do sorriso que cada estrelinha lhe oferecia.

O tempo foi passando e a menininha crescendo, cada dia mais iluminada e feliz. Todo mundo gostava dela, de seu temperamento extrovertido e suave. Mas a infância despediu-se e num belo dia chegou o amor. O coração bateu forte e ela começou a trilhar os caminhos da existência ao lado do companheiro que escolhera. Sentia-se realizada, dona do mundo! Em sua felicidade, ela não imaginara que a vida adulta tivesse tantos mistérios e tantos desígnios. Um dia a tristeza bateu à sua porta, bateu forte, e nesse tempo, nada de estrelas. Os infortúnios a fizeram esquecer suas amigas brilhantes.

Mas foi numa noite insone que aconteceu o milagre. Ela levantou-se, e, sem forças apoiou-se na janela, o coração despedaçado. Sem saber como, seus olhos voltaram-se para o céu... e lá estavam elas, sorridentes a cintilar. No mesmo instante, ouviu com incrível nitidez, as palavras de sua querida vó, conte, minha filha, conte... e então, lentamente, sem pensar em mais nada, com a cabeça erguida e o olhar no céu, ela começou a contar as estrelas, um, dois, três... e foram muitas, quando deu-se conta as lágrimas haviam secado e sumido completamente. Naquela noite ela dormiu energizada, expulsara a tristeza de seu coração. Ela pôde então compreender a mágica, tão singela, tão acessível, e tão fugaz..., contar estrelas é apenas um momento, mas é um momento de luz, que nos convida a vislumbrar outras perspectivas de viver. A partir daí, ela seguiu dedicando um tempo para as estrelas e notou que seus caminhos começaram a clarear.

A vida seguiu sua trajetória e a tempestade cedeu lugar à calmaria. Ela decidiu não contar essa mágica a ninguém, afinal, ninguém entenderia mesmo, e ainda diriam que contar estrelas era coisa de crianças.

Tempos depois, passeando com seu netinho pela mão, ele olha para o céu, abre um sorriso e diz: vovó, olha lá a estelinha céu... ele apontou com o dedinho e começou a contar, um, dos, teis... Então ela ouviu sua própria voz dizer num acorde, conte meu filho, conte, quantas você puder....

by Marli Borges

Beijos e bom findi
Fui.

23 março, 2010

MUDAR É PRECISO...

Olá!

A gente nem nota, mas é bem assim: passamos a vida inteira nos especializando em nossa profissão, estudando e trabalhando tipo bicho, e não nos preocupamos em saber como, exatamente, a gente "funciona". Às vezes parece que estamos ótimos de saúde, etc, mas a gente sente que não está "funcionando" direito. Acertei? Viva a experiência, rsrs. E é aí que entram nossas atitudes mentais (nada a ver com o pensamento positivo, estou falando de outra coisa). Será que a gente sabe tomar uma atitude mental, ou melhor, será que sabemos o que é mesmo uma atitude mental? E que consequências as atitudes mentais trazem para o nosso estado geral (corpo e mente)?  Pois saiba que não estamos sozinhos com essas dúvidas, isso aliás, é uma preocupação mundial e diz diretamente com os objetivos da  Programação Neurolinguística.

E aí, você sabe o que é Programação Neurolinguística - PNL?

Preste atenção. PNL é uma área do conhecimento que estuda a estrutura da experiência subjetiva do ser humano. É uma ciência de caráter prático que objetiva o desenvolvimento pessoal, a otimização do desempenho e o preenchimento significativo da vida. Tem uma vantagem muito legal que é nos tornar conscientes e capazes de reprogramar nossa mente a fim de ultrapassar e ou lidar com as situações que se apresentam na nossa vida.

É  reconhecida em todo mundo como uma das mais eficazes ferramentas de mudança comportamental que existem. Não, não é conversa não, é pura verdade. Fundamenta-se na idéia de que corpo e mente formam um sistema integrado, ou seja, o que você pensa afeta o seu corpo, e o que você faz com o seu corpo afeta a sua mente. Calma, eu sei que isso não é novo, sei também que até nosso grande Guimarães Rosa, quando disse que “Toda a ação principia mesmo é por uma palavra pensada", já andou navegando por esses mares, mas até então ninguém, nem ele próprio havia parado para pensar nas entrelinhas de sua afirmativa. E as referidas entrelinhas apontam justamente para um conceito vivencial, muito bem delineado. - Chuááá - eis o rio por onde correm as águas da PNL! Você vai ver, é simplesmente revolucionário encarar a vida assim! Bom, vamos adelante, no ponto. (Dei uma olhada por aí e descobri que Guimarães Rosa trabalhou até como médico. Ahã)

A PNL é um "Manual de Instruções" que nos possibilita (re)programar a mente, recuperando ou mantendo nossa autoestima e retirando as falhas de programação que foram geradas em nossa mente no passado, tal como as fobias. Serve inclusive como uma luz-no-túnel quando a gente quer mesmo emagrecer (ah, agora gostou né, rsrs)  É uma ciência muito interessante, pois ela lida diretamente com a inteligência intrapessoal.  Veja a seguinte afirmação superdivulgada atualmente: “Se você acha que pode, ou se acha que não pode, você está certo nas duas situações”. É por aí.

As técnicas da PNL foram desenvolvidas nos anos 70, por Richard Bandler e John Grinder, na Universidade da Califórnia. Eles observaram pessoas consideradas vencedoras e viram como elas agiam frente aos obstáculos que impediam seu sucesso. A partir dessa descoberta, eles decodificaram a estrutura processual do pensamento e das ações daquelas pessoas e formularam as técnicas de programação mental.

Mas o melhor disso tudo é que essas técnicas são copiáveis, ou seja, a gente pode copiar e praticar, o que nos leva a concluir que, em principio, qualquer um de nós pode alcançar a excelência em qualquer aspecto da vida.

Vou dar só uma palhinha pra vocês: como é que alguém "sabe" que é "fofoqueiro"? Certamente porque têm padrões de comportamento ligados a fofocas. Então: determino o que sou pelos meus comportamentos anteriores, ok? Ora se eu mudar meus comportamentos, com certeza serei diferente, concorda? Resultado: meus comportamentos passados determinam o que acredito que sou, e o que acredito que sou influencia meus comportamentos. É mais ou menos como os hábitos: "primeiro a gente faz o hábito, depois o hábito faz a gente".

Como mudar então? Mudando, claro. rsrs. Gente, esse assunto é bastante extenso, e ainda tem muita água pra rolar, mas posso dizer que a PNL encarada com seriedade traz resultados positivos. Já vi acontecer. Qualquer dia eu conto.

"E tudo que pedirdes,[...] crendo, o recebereis. Mt 21,22"

A propósito, você gostaria que eu postasse algo mais a respeito?

Fonte: Programação Neurolinguística para Leigos. KBurton. 
Bem, por enquanto era isso. Fui. Até breve.

21 março, 2010

CINDERELA QUE LARGA O PRÍNCIPE E BRANCA DE NEVE QUE TOMA PROZAC


Quem não conhece a história da Cinderela e da Branca de Neve? E da Bela Adormecida?
Sei, você já está careca de saber. Eu também. Aliás, já andei lendo umas modernizações desses contos, algumas até gostei. Mas agora é diferente. Uma escritora e uma desenhista fizeram um livro pra lá de bacana. Tanto que, recém lançado, já é o mais vendido entre os espanhóis. Trata-se de “La Cenicienta que no queria comer perdices” (“A cinderela que não queria comer perdizes”, uma alusão aos finais dos contos espanhóis que sempre acabam com a frase “foram felizes e comeram perdizes”).

Imagine você que a Cinderela simplesmente se cansa e larga o príncipe, e a Branca de Neve sai da depressão e abandona o Prozac! Genial não? E olha só os detalhes: a Cinderela é vegetariana convicta e tem que cozinhar perdizes para o príncipe, que está sempre reclamando. Basta! Largou ele sem demora. Perdizes, never more!  A Branca de Neve, por sua vez, não quer mais saber de cozinhar pra sete marmanjos e abandona essa vida cruel, decide cuidar da beleza, pega um bronzeado e fica moreníssima!  E a Bela Adormecida, pasme, acordou sozinha, sem precisar de ninguém! Há ainda o reencontro de outros personagens, Pinóquio, Chapeuzinho Vermelho, etc., que, em nova fase, mudaram suas vidas.

Já li o livro em espanhol (baixei em pdf, disponibilizado pelas próprias autoras na rede). O livro é leve, fácil de ler, tem poucas páginas, pouco texto e várias ilustrações. Mas, alto lá, não pense que é mais uma bobagemzinha daquelas que a gente está acostumada a ver editada por aí. Não, não é mesmo, e inclusive as autoras o dedicaram "às mulheres valentes que querem mudar de vida".   A mensagem é belíssima!
Aqui um parêntese: Achei muito legal a estratégia que elas usaram para juntar dinheiro para publicação: divulgaram o livro na internet e pediram a colaboração de quem tivesse gostado. Sei que tem muita gente que é contra os livros na net, mas acho ótimo, a tecnologia veio trazer um novo modelo de negócios para esse segmento, taí um exemplo.

Voltando ao foco. Veja só como são as coisas, as autoras (a escritora Nunila Lopez Salamero e a desenhista Myriam Cameros Sierra) cansadas de oferecer a história nas editoras espanholas e não receberem nenhum pio de resposta, decidiram pedir ajuda para amigas e associações de combate à violência contra a mulher. Foi assim que juntaram dinheiro para a publicação. E na seis primeiras semanas após o lançamento, venderam a bagatela de 50 mil exemplares! (que golaço hein!) Agora elas estão com a bolinha cheia, pois além de receberem apoio de intelectuais espanhóis, uma das maiores editoras da Espanha, a Planeta, resolveu publicar a obra! (a gente já viu esse filme, rsrs).

Deixo aqui o link para quem quiser baixar o livro em espanhol, em pdf.

Marli Soares Borges

Em tempo: publicado originalmente no Blog da Marli em 21.03.2010. Na época, vi na internet que o livro seria lançado no Brasil em 2010. 

18 março, 2010

VIAGEM À PORTUGAL

Olá!











José Saramago é "o cara". Vejam só o que ele escreveu no livro "Viagem a Portugal". A gente lê e pensa, ah isso eu já sabia, é assim mesmo, é isso aí. Pois saibam que essa é uma das razões pelas quais ele é um "prêmio nobel" festejado por milhares de leitores no mundo afora. Ele mesmo disse numa entrevista que sua arte consiste em tentar mostrar que não existe diferença entre o imaginário e o vivido, pois o vivido poderia ser imaginado, e vice-versa. E conseguiu. Pelo que sei, esse livro resultou de uma viagem que ele fez por Portugal, buscando descobrir novos caminhos, diferentes daqueles que todos já conhecem. "Não sei por onde vou, só sei que não vou por ai". Pois bem. Há poucos anos, andei pensando na vida como se fora uma viagem, e confesso, senti uma pontinha de inquietação. Bem que eu gostaria de ter trocado umas idéias a respeito, mas, já viram, nas férias ninguém quer saber desses assuntos. Noutro dia, lendo o dito livro, constatei que eu não estava sozinha, o grande Saramago, com sua percepção aguçada e invejável fluência verbal, já havia anunciado que a vida é uma viagem, mas com um detalhe, ele diz que é preciso recomeçar sempre essa viagem. E é aí que o bicho pega. Céus, como (re)fletir, (re)ver, (re)começar, nessa correria, nessa doideira atroz que a gente vive, nesse salve-se quem puder? Aliás você já notou que o caos (isso mesmo, o caos) está informatizado? Sim, e muito bem, obrigada. É mole? E sobra o quê pra nós? Seguir caminhando e cantando numa viagem sem volta. Confesso que isso me inquieta muitissimo. Caracas! Mas sossegue, descobri um remédio, acabou de cair a ficha. É o seguinte: não tem conversa, temos que literalmente, "comprar" um tempo para nós, afinal, é óbvio que ninguém vai nos dar esse tempo. Muito simples, então a gente compra, paga, assume as consequências! Beleza, aí, alimentaremos nosso espírito e tomaremos coragem para (re)começar nossas viagens pelos caminhos a vida. Os nossos (re)começos. Agora sim, de alma lavada, posso concordar com Saramago, "é preciso voltar aos passos que não foram dados".

Pronto chega de conversa. Eis o último parágrafo do livro. Delícia!


«A viagem não acaba nunca. Só os viajantes acabam. E mesmo estes podem prolongar-se em memória, em lembrança, em narrativa. Quando o viajante se sentou na areia da praia e disse: “Não há mais o que ver”, sabia que não era assim. O fim da viagem é apenas o começo doutra. É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na Primavera o que se vira no Verão, ver de dia o que se viu de noite, com sol onde primeiramente a chuva caía, ver a seara verde, o fruto maduro, a pedra que mudou de lugar, a sombra que aqui não estava. É preciso voltar aos passos que foram dados, para os repetir, e para traçar caminhos novos ao lado deles. É preciso recomeçar a viagem. Sempre.»


A propósito, "Viagem à Portugal" é um abraço pra quem gosta de história e arte. Saramago passeia por castelos e ruínas, entra nos museus e nas igrejas, dá uma palhinha sobre estilos arquitetônicos, conhece , pintores, azulejistas, escultores, enfim, dá uma aula de história pra gente. Ele inicia sua viagem lá no norte do país, na fronteira com a Espanha e vem descendo em direção ao sul.

Mas o que mais me agradou, foram as opiniões que ele vai dando, as coisas que vai contando... cada coisa... show de bola! Podes crer, se um dia eu for a Portugal, com certeza o livro vai comigo, (ah, se vai!) Conto com Saramago, ele vai me fazer prestar atenção nos detalhes das coisas que, caso contrário, passariam batidas.

Bom, gente, até aqui tudo beleza, mas sinto dizer que nada é perfeito: o livro não tem fotos. Como? É, tem razão, acho que estou querendo demais, rsrsrs!

Em tempo, ainda ele: "Não tenhamos pressa, mas não percamos tempo."
Tchau. Beijos.

16 março, 2010

O QUE NÃO TEM REMÉDIO...

Olá!


Aponte o dedo quem nunca ouviu dizer que "o que não tem remédio, remediado está". Acho que dá pra contar nos dedos quem não conhece essa máxima. Uns de um jeito, outros de outro. Recordo que nos meus tempos de criança (ih, a long time ago, rsrs) acontecia qualquer muvuca, e lá estava minha vó com o verbo na ponta da língua. Guardei na memória e fui utilizando na minha vida, serviu até para apaziguar as crises existenciais dos meus filhos quando eram adolescentes. E é claro, sempre funcionou. Sigo utilizando, pois contém uma verdade, e como disse meu amigo Churchill, a verdade é absolutamente irrespondível. Well. O tempo passou, ou melhor, voou, hehe. Pois não é que agora encasquetei em saber a origem desse ditado? (eita, a idade nos apronta cada uma... rsrs) Procura daqui, procura dali e então, sabem quem é o pai da criança? Shakespeare, isso mesmo. Gente, minha vó era mesmo muito esperta, vai ver ela andou trocando umas telepatias com Shakespeare. Só pode. O quê, tá me achando maldosa? Nada! Tô é feliz, ou você também não ficaria, se sua avó aprendesse umas e outras com aquele figurão? Só tenho a agradecer. Pois é, fiz todo esse discurso para apresentar a vocês uma poesia, ops, A poesia. Porque nunca vi versos tão exatos. Maravilha total. Aproveitem.

"Quando não há mais remédio,
terminam os males que as esperanças alimentavam.
Lamentar um sofrimento do passado
é dar um passo no sentido de atrair um novo mal.
Quando o destino leva algo que não podemos preservar,
o melhor é deixar que a paciência zombe do infortúnio.
O sorriso de quem é roubado rouba algo ao ladrão;
aquele que dá margem a mágoas inúteis
rouba-se a si próprio."
(Shakespeare)

Era isso. Fui. Até breve.

13 março, 2010

ESCREVER É ESQUECER

Olá, pessoal,


Sim é ele mesmo, Fernando Pessoa. Considero Fernando Pessoa um poeta vulcânico. Com sua escrita escorreita e objetiva ele transmite uma explosão de sentimentos que não deixa ninguém indiferente. Acho ele sensacional, tudo o que ele escreve adquire vida própria e nos convida a pensar, refletir e raciocinar. Taí um exemplo.


No texto abaixo, ele escreveu sobre a relação vida-literatura e fez uma abordagem que considero inédita. Mas prestando bem atenção, ele não disse novidade, não disse nadinha que a gente não soubesse de antemão, e vem daí o meu fascínio, pois o plus de tudo isso é que, alinhando palavras simples (ah, os poetas!) ele revelou-nos o prazer de escrever na sua forma mais genuína, exatamente no ponto em que deixamos explodir nossas emoções através da escrita.


Ora, é de clareza solar que simulamos a vida ao escrever, (quem não sabe?), aliás, transformamos a vida como bem queremos, não damos a mínima, e olhaí, ignoramos a vida! Pois é, todo mundo sabe disso, mas ele nos faz sentir essa verdade, nos mostra o valor dessa verdade em toda sua extensão.


Gente, fico impressionada, o poeta ousou (quem pode, pode, rsrs) traduzir em palavras uma constatação, uma constatação corriqueira, mas acontece que ele escreve tão bem, mas tão bem mesmo, que a gente fica literalmente de queixo caído. Eu fico. Já reli esse texto umas trocentas vezes e não me canso. Sua palavras são de uma simplicidade de doer. Sente só!


Gente, vamos combinar, sem literatura, nossa vida seria em preto e branco. Bem, pelo menos a minha... já falei isso aqui no blog, mas repito.

Volto em breve.
Fui

09 março, 2010

MANIA DE AGRADAR

Olá,



  
Hoje vou falar um pouquinho sobre o "não". Palavra pequenina, mas que traz consigo conflitos e responsabilidades. A primeira vista, parece tão fácil dizer não, não posso, não quero, etc. Mas sei que para muitos de nós isso é muito difícil. É que a gente tem mania de querer estar sempre agradando os outros, não é?  Pois saiba que quando a gente não sabe dizer “não” a um pedido que não se pretende ou que a gente já sabe que não vai conseguir atender, causamos problemas aos outros e a nós, tanto em nossa vida pessoal, como profissional.

Pense na violência que praticamos contra nós mesmos ao dizer “sim” quando deveríamos dizer “não”.  Quando isso acontece, ficamos com sobrecarga em nossas costas, pois acabamos carregando os "macaquinhos" dos outros.  Sem falar que com essa atitude, estamos enganando o outro.  A propósito, você conhece a história dos macaquinhos?  É assim: 

Era uma vez uma garota que tinha um macaquinho de estimação, lindo, bem cuidado, saudável e cheiroso! Todos admiravam aquele bichinho e não demorou para que começassem a pedir ajuda, que ela cuidasse também dos macaquinhos deles. Ela aceitou o encargo, mesmo sabendo que eram muitos e que talvez não conseguisse cuidar bem de todos. Mas cuidou, cuidou e cuidou. Acontece que cuidou mal e os resultados foram péssimos. Até o seu próprio macaquinho, antes tão bem cuidado, acabou numa pior!



Resultado: Ela perdeu a credibilidade perante as pessoas que haviam depositado confiança em seu trabalho. Se tivesse conseguido dizer "não", teria evitado esses dissabores e cada uma daquelas pessoas teria procurado outra forma de resolver seus problemas.

Contei essa história para mostrar a você até onde pode ir a sobrecarga causada pelo bloqueio do “não”.  Dizer “sim” indevidamente, causa estresse e sobrecarrega você, que inevitavelmente, atrasará ou deixará de cumprir aquilo a que se propôs. É um duplo prejuízo que resulta, para ambas as partes, em frustração e rejeição, além de fazer com que você deixe de ser levado(a) a sério.

Acorde, tenha a coragem de dar um basta. Comece por aqueles amigos que estão sempre pedindo para que faça alguma coisa que eles deveriam fazer. Se o pedido vai atrapalhar a sua vida, não pense duas vezes: diga "não".  Se silenciar, a chance de se arrepender depois é muito grande. Pense que o "não" pode até ser uma forma de ajudar a pessoa a encontrar seu caminho, de ajudá-la a crescer.

Mas lembre-se, diga um "não" gentil e educado, pois isso fará com que você não se sinta mal e evitará que a pessoa se indisponha com a sua negação. É importante deixar transparente suas posições, até para não dar a entender que você é simplesmente “do contra”.

Repito, o "não"  é uma palavra muito importante e deve ser dita no momento certo. E positivamente.

Era isso. Fui. Até breve.

05 março, 2010

MANIA DE SOFRER

Olá!

Você já notou como tem gente que adora sofrer? Que adora se lamentar? Fico pensando, de onde teria vindo essa quedinha que temos, em maior ou menor grau, para o sofrimento. Realmente não sei, tenho apenas uma vaga idéia. Lembro que quando eu era criança, às vezes me machucava brincando, e chorava, e minha vó corria e me acalentava... e eu ficava feliz. Aliás, todo mundo faz assim com as crianças, é supernormal. Também cansei de ouvir "quem não chora não mama". Daí vai que, bingo! chorar, sofrer,... claro, virou solução. Tenho a impressão,-- como disse, é só uma idéia, -- de que essas atitudes levam alguns de nós a intuir desde cedo que sofrer sempre traz compensação. Ahã.

A bem da verdade, é muito mais fácil sofrer do que manter a alegria, pra sofrer a gente nem precisa fazer esforço, o sofrimento vem ao natural, você há de convir. E nós mulheres, principalmente, carregamos um fardo que nos acompanha desde os tempos bíblicos. Sempre fomos encorajadas a sofrer, o sofrimento dignifica, diziam, tudo que se conquista pelo sofrimento tem mais sabor, (pura baboseira, eu sei!) e desfiavam um amontoado de sandices na nossa cabeça, e nesse embalo, queria o quê, o sofrimento grassou e nossa saúde (física, mental e social) desmoronou, também pudera, isso acaba com qualquer um.

Agora, ao outro lado da moeda. Todo mundo gosta da alegria, tenho certeza. Well, well, então porque a gente não vive alegre? Sabemos por experiência própria que a alegria é um sentimento ótimo, nos encoraja e fortalece. Nos dá mais saúde, rejuvenesce e embeleza. Quando sorrimos, nosso organismo fabrica anticorpos para combater as doenças. Amor, isso é pura ciência, e da boa...rsrsrsrs. Meu Deus, porque então a gente não sorri mais? Por que a gente não escancara a boca de orelha-a-orelha todos os dias?

Não sei, mas acho que os fatos que referi acima, há muito vem contribuindo para impedir que cultivemos, (como uma plantinha), o hábito saudável de manter-nos alegres, mesmo nas adversidades. Gente, parece que temos até vergonha de dizer que passamos uma tarde alegre no nosso trabalho. E o que dizer da culpa, quando estamos alegres no cotidiano, sem alguma razão aparente que possa justificar?

Céus, isso não faz a minha cabeça. Sou a favor da alegria. Sofrer por sofrer me dá nos nervos. Acredito que a alegria está entre os ingredientes que tornam nossa vida mais agradável e, portanto, deve ser praticada e doada ao próximo, pois alegria também é uma forma de amor, pela vida e pelas pessoas.


Então proponho uma coisa, mesmo que você esteja por aqui com a vida, pare com essa neura de sofrer. Pratique a alegria. Se está triste e quiser chorar, chore, soluçe, faça o que lhe der na telha, mas depois, levante a cabeça, olhe-se no espelho e sorria. Não, não é bobagem não. No carro, olhe-se no espelho e sorria. Sempre que fizer isso, segure o sorriso, um pouquinho só. Assim você engana seu cérebro e sem se dar conta, você ficará alegre. Tente, dá certo. Aprendi isso há bastante tempo num livro, já nem lembro mais o nome, mas é muito legal. Claro, no início a gente custa um pouco, parece meio fora de órbita, ainda mais quando a gente está triste verdadeiramente. Mas vale a tentativa, é um esforço pessoal, um aprendizado constante, e a gente consegue recuperar as forças, não duvide.

Sorria, pois como dizia Chaplin, a alegria é o único jeito da gente enfrentar os problemas da vida e sair ganhando!

Mas não esqueça de levantar a cabeça. Aposto que você nunca viu alguém chorar de cabeça erguida não é mesmo?

"Posso ficar acordada e deixar que as dores do mundo me despedacem. Então, permitir que as alegrias me recomponham e, embora diferente, eu me torne inteira outra vez." (OMDreamer)

Era isso. Fui, até breve.

02 março, 2010

CASA DOS POLÍTICOS JÁ.

Olá amigos, gostaram daquela maldade do post anterior, hein... Eu também.

Agora vejam como a criatividade humana é infinita mesmo.  É claro que uma idéia desse quilate só poderia vir da genialidade da Rita Lee.

No programa do Amaury Jr. ela reclamou da inutilidade de programas como o Big Brother, A Fazenda, etc, e sugeriu o seguinte:

"Colocar todos os pré-candidatos á presidência da República trancados em uma casa, debatendo e discutindo seus respectivos programas de governo. Sem marqueteiros, sem assessores, sem máscaras e sem discursos ensaiados. Toda semana o público vota e elimina um. No final do programa, o vencedor ganharia o cargo público máximo do país. Além de acabar com o enfadonho e repetitivo horário político, a população conheceria o verdadeiro caráter dos candidatos. Assim, quem financiaria essa casa seria o repasse de parte do valor dos telefonemas que a casa receberia e ninguém mais precisará corromper empreiteiras ou empresas de lixo sob a alegação de cobrir o ‘fundo de campanha’"
E aí, a idéia não é genial? Se você também gostou, avise os amigos e faça coro pela campanha: Casa dos Políticos JÁ!

FONTE: Abril.com

Volto em breve. Beijos